Redes Sociais:

O efeito das drogas sobre o sexo

Por Niceas Romeo Zanchett

A saúde do corpo e a emoção são os principais responsáveis pelo bom desempenho sexual. O afeto pela parceira facilita o desejo que é indispensável para a ereção. A ereção é desencadeada pelos neurotransmissores, substâncias que dependem de estímulos neurológicos. A parte física funciona melhor quando existe uma ligação afetiva com a mulher. Portanto, quanto maior o estímulo emocional, melhor será a ereção.
Tanto a saúde do corpo como o afeto pela parceira ficam prejudicados quando se faz uso de drogas. 
CIGARRO - O cigarro diminui  o calibre das artérias, afetando os pequenos vasos que irrigam o pênis. Experiências feitas por cientistas constataram que uma injeção de nicotina aplicada na veia  inibe diretamente o mecanismo de ereção.
ÁLCOOL - A bebida alcoólica age diretamente sobre o sistema nervoso central. A primeira dose relaxa, mas prejudica os reflexos. O aumento da concentração de álcool no sangue interfere na sensibilidade. Beber em excesso provoca diminuição da libido e da capacidade de ereção, além de alterar a ejaculação e retardar o orgasmo.
DEPRESSÃO - As pessoas deprimidas costumam usar drogas químicas -"remédios", para tratar a depressão. Geralmente o fazem sem orientação médica, e isso é muito grave.
O sintoma mais comum de quem está deprimido é a perda do interesse sexual e o comprometimento da ereção. O uso de antidepressivo também inibe a sexualidade. O primeiro passo é procurar um médico para tratar a depressão e depois pensar no tratamento para recuperar o bom desempenho sexual.
DROGAS - (maconha) - influi na redução dos níveis de testosterona e pode afetar seriamente a libido; (cocaína) seu uso crônico causa danos à musculatura do pênis causando disfunção erétil e distúrbios na ejaculação. O (ecstasy), alucinógeno muito usado nas baladas, num primeiro momento funciona como um excitante sexual. Seu uso contínuo provoca perda de motivação geral, comprometendo o desempenho sexual.
Além das drogas, o estresse e a ansiedade prejudicam seriamente a sexualidade.
ESTRESSE - O estresse é a doença da modernidade. A vida intensa de nossos dias gera inúmeros momentos estressantes. Isso, sem sombra de dúvida, vai se refletir na sexualidade. Conflitos profissionais, dificuldades financeiras e problemas familiares são fatores que comprometem seriamente a libido masculina. Em situações de grande estresse o homem não sente desejo e perde o interesse sexual. A situação pode durar longos períodos e, não havendo solução, tende a agravar-se.
ANSIEDADE - A ejaculação precoce não é um problema físico. Todas as causas estão ligadas ao emocional, e a ansiedade costuma aparecer em primeiro lugar. Trata-se da disfunção sexual mais comum entre homens jovens. Não é raro que a ejaculação precoce acabe provocando a ausência total de ereção.
O tratamento terapêutico é o mais indicado e eficaz.
Muitos homens só procuram o médico quando estão com algum problema sexual. Quando o sexo não vai bem, é sinal de que algo está errado na parte física ou emocional. A falha da ereção pode ser um aviso de que outras artérias estão sendo atingidas. É muito comum a disfunção erétil apontar que o homem tem um problema circulatório. Assim, a obstrução que aparece nos vasos do pênis pode existir também nas coronárias.
Nicéas Romeo Zanchett 

                                             https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online.