João Henrique de Miranda Sá

Jornalista, escritor e redator autônomo

Plataforma Cultural: O Espaço que faltava em Campo Grande, faltava!

O fomento e a difusão da cultura, por meio da arte e do artesanato, em todas as suas expressões, são os objetivos principais daquele que podemos classificar, sem erro, ‘equipamento cultural urbano’ mais promissor na Capital Morena, na atualidade.

Uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Campo Grande,  viabilizada pela Fundac – Fundação Municipal de Cultura, a Plataforma Cultural é parte integrante do Complexo Esplanada da Ferrovia de Campo Grande - que engloba a Feira municipal, Armazém Cultural Helena Meireles.

Fica fácil visualizar e compreender que a Esplanada funciona de fato, tal e qual um trem. A parte da Feira Central é um local cujas atividades são conhecidas em qualquer recanto da cidade. O Armazém e a Plataforma começam a ser reconhecidos “vagões” interessantes, úteis e muito confortáveis. Cada um deles, claro, têm finalidades específicas e atendem à demandas distintas.

Se de um lado o Armazém Cultural

supre a demanda de eventos que exigem um espaço mais intimista, climatizado e amplo, de outro lado, a Plataforma está apta a atender – e atende – às mais diversas demandas.

A Plataforma Cultural dispõe de um atelier para oficinas e workshops; uma galeria climatizada destinada a exposições, amplo espaço coberto e arejado, diante do qual ainda há o pátio a céu aberto.

Sidney Lemes - gestor da Plataforma - lembra que qualquer cidadão tem acesso aos cursos ali ministrados; à galeria, para visitação ou mesmo para realizar suas próprias exposições: “O espaço é aberto a todos, não há restrição. É claro é realizada uma análise do que será exposto, é realizada uma curadoria e se tudo estiver adequado aos critérios locais, para então ser criada a agenda do evento”.

Para utilizar o espaço da Plataforma, basta enviar para a Fundac – Fundação de Municipal de Cultura, ofício solicitando o espaço, explicando a finalidade e o objeto do evento.

O gestor do espaço completa salientando: “Estamos readequando o calendário e a grade de atividades da Plataforma. O objetivo desse esforço consiste em atender ao maior número possível de setores de produtores e grupos culturais”.

A nova grade de eventos possibilitará que comunguem do mesmo espaço grupos como os de dança, teatro, música e outras formas de expressão artística coletivas que não disponham do espaço necessário aos ensaios, por exemplo. Assim sendo, se você é integrante de um grupo que precisa de um local para ensaiar, a Plataforma Cultural pode ser boa saída.

Joelma Berthon - Professora de carreira exercendo função técnica no local -  chama a atenção para o fato de que “com a movimentação na plataforma, de dia ou de noite, o entorno da Plataforma Cultural está mais vivo. Não há mais decadência ou a marginalidade que já houve nos arredores. Aqui, hoje, é um local de oportunidades!”

Campo Grande que sempre foi carente de espaços públicos destinados às expressões de arte e artesanato, hoje dispõe de um equipamento – muito mais que mero espaço – adequado e equipado com recursos materiais e humanos de primeira linha.

O pessoal da Plataforma realiza e materializa, todos os dias, os anseios dos artistas - artesãos, músicos, pintores, poetas, escultores, chefs de cozinha, grupos folclóricos e muitos outros – trabalha com amor à arte e o visível desejo de que os eventos na plataforma venham a ser reconhecidos como de fato são: oportunidades maravilhosas de entretenimento, informação e lazer.

Os eventos contínuos da grade de programação da Plataforma, atualmente, são: 

Atelier de artes - cursos

Cursos dois de arte e artesanato simultâneos; com duração de aproximadamente dois meses.

Estão abertas as inscrições para o curso de violão, para o curso de mosaico picassete (utiliza-se objetos tridimensionais, além do curso de pintura sobre tela. 

Eventos e Feiras

-  Estação Interativa;

-  Feira de Arte, Artesanato;

-  Feira Solidária.

... que até recentemente eram realizados semanalmente, devem ser, doravante, realizados todos juntos, com todos os parceiros, trimestralmente num evento de grande porte batizado Estação Cultural.

A primeira edição do Estação Cultural será realizada nos dias 12 e 13 de agosto. Não deixem de conferir! 

Os parceiros atuam nos setores de gastronomia (food trucks), antiguidades se fazem presentes sempre que há esta possibilidade.

A “locomotiva” da Plataforma é composta por Joelma Berthon, Ângela Silva, Lucila Pereira, Suzamar Rodrigues, D. Lenira, Ramão Barros, e Itamar, capitaneada por Sidney Lemes, convida a todos que venham conferir os eventos feitos para todos nós.

O sucesso da Plataforma Cultural garante a manutenção da integridade  - por meio da utilidade - de um espaço histórico, importantíssimo para o povo do Mato Grosso do Sul. Além de programas de baixo custo e bom gosto, ao alcance de todos.

A Plataforma Cultural está situada à Rua Calógeras, 3015, esquina com Av. Mato Grosso; o telefone para mais informações é (67)3317-1711. 

João Henrique de Miranda Sá é escritor e redator

https://www.facebok.com/jhmirandasa1931

Skype: jhmirandasa1931

Mais de João Henrique de Miranda Sá

Comentários

Notícias relacionadas

loading...