Redes Sociais:

Evidências demonstram que grupo encontrado em Mogi foi executado pela polícia



Foi confirmada a informação de que os corpos encontrados no meio da mata fechada em Mogi das Cruzes (SP) pertencem aos cinco jovens que estavam desaparecidos em São Paulo, desde o dia 21 de outubro.

O exame de impressão digital elucidou a questão.

Jonathan Moreira Ferreira, de 18 anos, César Augusto Gomes Silva, de 19; Caique Henrique Machado Silva, 18; Robson Fernando Donato de Paula, 16, que é cadeirante; e Jones Ferreira Januário, 30, iam para uma festa num sítio em Ribeirão Pires, quando foram parados numa blitz da Polícia Militar.

O momento da blitz, relatado por um dos rapazes para uma amiga através do aplicativo WhatsApp, coincide com o momento do desaparecimento.

Na madrugada desta terça-feira (08) foi obtida a confirmação de que os rapazes foram encontrados com as mãos amarradas e com marcas de vários tiros, evidenciando o crime de execução.

No grupo, quatro tinham passagens criminais e um deles – Robson Silva de Paula – era paraplégico, vítima da própria polícia em 2015.

A PM apontava o grupo como responsável pelo assassinato de um policial e um guarda civil no mês de setembro.

A execução teria sido em represália a este fato.

da Redação