Redes Sociais:

Descobrimos o que o casal fazia com tantas joias...



A pergunta do título da matéria é inevitável.

Aliás, Tudo na vida do casal Sérgio Cabral e Adriana era megalômano.

Duas pessoas insanas e extremamente deslumbradas.

A turma das joalherias aguardava todos os dias uma ligação do governador.

Três lojas tinham a preferência da madame, a 1ª dama:  Joalheria Antonio Bernardo, H.Stern e Sara Joias.

A gastança teve mais ênfase entre 2010 e 2016.

Uma das joalherias, a Antonio Bernardo, já forneceu à força tarefa da Operação Lava Jato no Rio Janeiro, uma lista com 460 joias compradas pelo ex-governador, pagas quase que a totalidade, com dinheiro vivo.

Anéis, brincos, colares, pingentes e pulseiras de ouro amarelo, branco, esmeraldas, diamantes, turmalina e pérolas, perfazendo um montante aproximado de R$ 5,7 milhões. Tudo comprado sem expedição de nota fiscal.

Falta a ‘listinha’ das outras joalherias.

Em roupas, no fantástico ‘closed’ do casal, estima-se o absurdo de 20 milhões em ternos, calças, vestidos, sapatos, etc... (veja aqui)

Observe-se que Cabral quando assumiu o governo, era um homem ‘pobre’, sem patrimônio, que vivia exclusivamente do salário de parlamentar.

Por derradeiro, quanto ao conteúdo do título da matéria, parece óbvio que as joias eram mais um dos meios que o 'alucinado João Cabra' e a 'alucinada Lourdinha' utilizavam para ‘lavar’ dinheiro.

Um acinte para com os pobres brasileiros pagadores de impostos.

Amanda Acosta

[email protected]