Redes Sociais:

Fidel morreu, mas as ‘mentiras’ sobrevivem



Mentira, mentira, mentira. Mil vezes mentira, a mentira mais repetida no Brasil desde que me conheço por gente, mentira que convenceu milhões a adotar um pensamento totalitário e destrutivo.

É uma grande mentira, mentira que 90% da imprensa brasileira reproduz hoje, que Fidel Castro tenha dado uma boa vida ao povo cubano.

A tal da saúde universal é mito, pois é uma medicina arcaica, muito ruim. A tal da educação universal é só a obrigação de ler o catecismo castrista-marxista, nada mais do que isso, Cuba não produziu ciência sob Fidel e não ensinou aos cubanos, verdadeiro e plural conhecimento.

Tirou os cubanos da miséria? Mentira. Em 1959, muitos cubanos estavam fora da miséria (2º melhor PIB per capita da AL), e todos os cubanos podiam almejar mudar de vida. Hoje, praticamente todos estão na miséria e ninguém pode almejar nada, é proibido.

É mentira que Fidel inspirou a luta dos latino-americanos contra os caudilhos. Mentira. Ele foi o maior dos caudilhos e criou outros tantos, como Hugo Chávez e Daniel Ortega.

Mentiras que nos fazem muito mal. E que nossa imprensa insiste em reproduzir, contra todas as evidências em contrário.

Aurélio Schommer

Membro do Conselho Curador na Fundação Cultural do Estado da Bahia