Redes Sociais:

Mensagens de ódio para Tati Quebra-Barraco são injustificáveis



Yuri Lourenço da Silva, 19 anos, foi morto neste final de semana com um tiro no rosto, durante uma operação policial na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A mãe, a funkeira Tati Quebra-Barraco vive um momento de extrema dor. Não poderia ser diferente. Ela é mãe.

O rapaz desde bem jovem é envolvido com tráfico de drogas, com diversas passagens pela polícia quando ainda menor de idade, e uma recente condenação por furto qualificado. Uma vida pregressa de lamentável envolvimento no mundo da criminalidade.

Yuri e um amigo teriam recebido a polícia a tiros e no tiroteio acabaram mortos. É a versão da PM.

De qualquer forma, independente da trajetória do filho, a funkeira, a mãe, notadamente no momento de dor pela perda, não pode, em hipótese alguma, ser responsabilizada pelos atos do rapaz e, muito menos, ser cruelmente atacada e agredida, como fizeram alguns internautas nas redes sociais.

Cada um é responsável exclusivamente pelos seus atos. Mãe é mãe e merece respeito. Agredir uma mãe é inaceitável.

Um ódio injustificado, desnecessário, injusto e desprezível.

da Redação