Ciúmes e inveja fazem Aragão, ex-ministro da Justiça de Dilma, atacar Dallagnol

Quem não se lembra de Eugênio Aragão, o protagonista de um dos últimos vexames do governo Dilma Rousseff.

Procurador da República, ele demonstrou todo o seu despreparo jurídico ao aceitar ser ministro do governo do PT, algo absolutamente inconstitucional.

Na época o STF foi instado a se manifestar e Aragão teve que deixar a pasta. Uma vergonha!

Esse procurador, petista declarado, não tolera ver o brilho de seus colegas da ‘República de Curitiba’.

Numa atitude extremamente aética, resolveu atacar o colega Deltan Dallagnol.

Distribuiu indiscriminadamente através de grupos de WattsApp uma carta aberta ao coordenador da força tarefa.

Abaixo um trecho do esdrúxulo texto de Aragão:

“Baixe a bola.  Pare de perseguir o Lula e fazer teatro com PowerPoint. Faça seu trabalho em silêncio, investigue quem tiver que investigar sem alarde, respeite a presunção de inocência, cumpra seu papel de fiscal da lei e não mexa nesse vespeiro da demagogia, pois você vai acabar ferroado. Aos poucos, como sempre, as máscaras caem e, ao final, se saberá que são os que gostam do Brasil e os que apenas dele se servem para ficarem bonitos na fita! Esses, sim, costumam padecer do complexo de vira-lata!

Um forte abraço de seu colega mais velho e com cabeça dura, que não se deixa levar por essa onda de ‘combate’ à corrupção sem regras de engajamento e sem respeito aos costumes da guerra”.

De fato, numa coisa ele está certo: É um cabeça dura.

da Redação

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...