Jorge Hori

Articulista

As heranças benditas e as heranças malditas de Fernando Haddad

A principal herança bendita de Fernando Haddad são as condições da dívida com a União, renegociadas por ele junto ao Governo Federal. 

Deixa também um bom Plano Diretor do Município, embora sejam necessários alguns ajustes para eliminação ou mitigação de distorções de caráter ideológico. 

O conceito básico do referido plano é o desenvolvimento urbano orientado pelo transporte. É um modelo aplicado em diversas cidades do mundo, embora não tenha unanimidade.

Por esse modelo a cidade cresceria pelo adensamento verticalizado, com uso misto do solo, em torno das estações do transporte coletivo de massa. 

Como consequência dessa regulação urbana, a cidade se concentraria em torno das estações metroviárias. O restante do centro expandido teria um adensamento e verticalização menor, com tendência de manutenção das condições históricas, o que pode ter o efeito de preservação histórica e cultural, mas também o de estagnação. 

A expansão periférica tenderá a ser contida, mas a configuração futura da cidade, dentro dessas regras dependerá das velocidades diferenciadas da valorização imobiliária. 

A herança é bendita, mas novo Prefeito terá que saber planejar adequadamente a evolução da cidade dentro desse contexto. E precisará muito do apoio do Governo Estadual, ou da parceria com o mesmo, para algumas transformações substanciais no sistema de transportes coletivos. Como, completar as linhas metroviárias em andamento, criar uma linha metroviária paralela ao ramal sul da CPTM, completar o monotrilho da linha ouro, com recursos da operação urbana Agua Espraiada, implantar uma linha de VLT no corredor de onibus da Av Berrini, etc.  O abandono por Fernando Haddad dessa operação urbana, acaba sendo uma herança bendita. 

As heranças malditas estão projetos da marca Haddad que Doria poderá dar continuidade, alterar ou abandonar. O que implicará em desgastes políticos e de imagem. No apagar das luzes, Haddad fez reemergir o inviável 'Arco do Futuro' apenas para gerar um problema adicional ao seu sucessor. Mas Doria poderá cair na armadilha.

As maiores heranças malditas estão em projetos abandonados ou não efetivados. O mais importante é o da urbanização das áreas dos mananciais, idealizado por Kassab. Tem todo um plano de corredores de ônibus para implantar, sem perspectivas de ter apoio federal. O déficit de creches é outra herança maldita. O mau serviço público de saúde, outra.

Do ponto de imagem pública a herança maldita mais critica é a ‘cracolandia’. Não há possibilidade de solução de médio prazo, segundo a visão dos direitos humanos.  Essa é comprometida pela corrupção. Qualquer outra solução será caracterizada como 'higienista'. 

Jorge Hori

Jorge Hori

Articulista

Mais de Jorge Hori

Comentários

loading...