Surge um delator e situação de Cabral e Adriana fica ainda mais complicada

Após dois meses no cárcere, surge finalmente um delator na organização criminosa chefiada pelo ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Filho.

Trata-se de Paulo Fernando Magalhães Pinto Gonçalves, o ‘Paulinho’, assessor e um dos mais proeminentes ‘laranjas’ de Cabral.

Paulinho é membro de uma família que até os anos 90 ostentava a condição de uma das mais ricas do país, dona do banco Nacional, que chegou a ter uma carteira com 1,2 milhão de clientes e 400 agências. O banco quebrou em 1995.

O assessor ainda é um homem rico, dono de várias empresas e um vasto patrimônio, mas, por motivos ainda não explicados, aceitou submeter-se a condição de ‘laranja’ e participar das falcatruas do ex-governador.

O caminho que levou a Polícia Federal a fechar o cerco em torno de Paulinho foi a lancha Manhattan, ora apreendida.

O iate avaliado em R$ 5,3 milhões estava registrado no nome de uma das empresas de Paulinho, mas era utilizado e ficava ancorado em frente a uma casa do ex-governador.

A partir dai a posição de ‘laranja’ foi ficando evidenciada, as coisas foram se complicando, até que o ex-assessor, sem saída, partiu para a delação.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...