Magistrado, algoz de Eliana Calmon, afirma que ela recebeu dinheiro sujo, é ridícula e falsa moralista

A ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça Eliana Calmon, sempre polêmica e corajosa, que em 2012, quando ocupava o cargo de Corregedora Nacional de Justiça, disse que ‘bandidos de toga estavam infiltrados no Judiciário', voltou a atacar dizendo que ‘a Lava Jato precisa investigar o Judiciário’.

Logo após sua declaração, a ex-ministra recebeu o troco de um desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), Remolo Leteriello, que, através de um comentário no site ‘Conjur’, disse ‘A Lava jato tem que alcançar, também, magistrados aposentados, como ela, Eliana Calmon, que recebeu dinheiro das corruptoras OAS, Andrade Gutierrez e Odebrecht.


Letteriello foi ainda mais duro em seu perfil no Facebook.

‘As revelações sobre essa figura ridícula, falsa moralista, foram passadas pelo jornalista Ricardo Boechat na sua coluna da Revista "IstoÉ" que informa ainda que Eliana Calmon está sendo investigada por ter recebido doações daquelas empresas envolvidas na Lava Jato’, acrescentou.


Especificamente, sobre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a ex-corregedora afirmou, quando ainda ocupava o cargo, que era o tribunal ‘mais corrupto do Brasil’.

Com isso, comprou uma briga infinita com os integrantes daquela Corte.

da Redação

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...