Em Corte manchada pela propina, delator indica repasse de R$ 350 mil para ministro

A escolha de ministros pelo presidente da República, através de negociações que envolvem política, politicagem e barganha, não poderia, em hipótese alguma, resultar em coisa boa.

Nesse sentido, tudo indica que o Tribunal de Contas da União (TCU), o órgão fiscalizador das contas do governo, está infestado de autoridades que abocanham propina para fazer vistas grossas em processos que tramitam na casa.

Porém, até então, ainda não tínhamos uma acusação direta a um ministro, com inclusive a especificação do valor pela qual ele teria sido ‘comprado’.

Em sua delação, o ex-diretor da Odebrecht José de Carvalho Filho afirma que pagou propina de R$ 350 mil ao ministro Vital do Rêgo.

Paraibano, o ‘espertinho’ foi vereador em Campina Grande (PB), deputado estadual, deputado federal e senador. Ou seja, político profissional.

Foi indicado para o TCU por Dilma Rousseff.

Não poderíamos esperar outra coisa de sua atuação como julgador.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...