O grampo da PF que condena Gilmar Mendes (veja o vídeo)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que atualmente preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e que, portanto é uma relevante e importantíssima autoridade do Poder Judiciário e da República, tem se notabilizado por seu inconveniente e inaceitável envolvimento na atividade política, opinando, discutindo, negociando e se intrometendo onde jamais deveria, por uma questão ética e legal.

Reuniões sigilosas, caronas no avião presidencial, manifestações desconectadas e parciais, além de frequentes e insanos shows midiáticos onde se dispõe a discorrer sobre fatos alheios a sua competência, não raro de maneira rude e atabalhoada.

Porém, nesse complicado emaranhado, nada se aproxima de um grampo captado pela Polícia Federal, onde o ministro conversa com um investigado do STF, logo após este ser alvo de uma ação de busca e apreensão determinada pela Corte.

Na ligação, Gilmar Mendes é informado do nome do ministro que havia determinado a medida, e em resposta ele diz ‘Vou conversar com ele. Eu vou lá, depois se for o caso a gente conversa. Um abraço de solidariedade’.

Uma clara demonstração de que o ministro iria intervir, em ‘solidariedade’ ao amigo alvo da investigação, no caso o então governador de Mato Grosso Silval Barbosa, ora preso, acusado de liderar esquema que teria exigido propina de empresários em troca da concessão de incentivos fiscais e contratos com o Estado.

Noutras palavras, parece que Gilmar iria tentar com sua ação, utilizando o prestígio e a influência dos cargos que ocupa, obstruir a Justiça.

Um caso idêntico ao que prendeu em flagrante o senador Delcídio do Amaral.

Abaixo veja o vídeo, tire suas conclusões e, caso queira, deixe sua opinião.

Vanessa Mallmann

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...