O cavaleiro da propina (veja o vídeo)

Indicações políticas e negociadas na calada da noite mediante conchavos, armações e negociatas, jamais produzirão bons servidores públicos.

Nesses casos, o agraciado, antes da escolha, em regra tem que assumir compromisso com interesses espúrios dos políticos que irão negociar a sua indicação.

Uma coisa comum e corriqueira.

Nessas condições foram nomeados todos os conselheiros do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro (TCE-RJ), presos na Operação Quinto de Ouro.

Todavia, chama atenção o caso do conselheiro Marco Antônio Alencar, filho do ex-governador Marcelo Alencar, uma referência de homem decente, falecido em 2014.

O conselheiro é o avesso do pai. Com salário de R$ 30 mil reais, construiu uma megalômana fortuna.

Seu hobby, montar cavalos, é caro e, sem dúvidas, consome boa parte de seu salário apenas para a manutenção dos animais puro sangue, de alta linhagem, cujo preço está avaliado em 1 mihão de dólares, cada um.

Sabe-se que o notável cavaleiro não recebeu herança e nem ganhou na loteria. Fica então o questionamento: de onde saiu a fortuna para adquirir esse extraordinário plantel de mais de 30 belos e caríssimos cavalinhos?

Ora, não é a toa que o Rio de Janeiro chegou a esta situação falimentar.

A roubalheira foi institucionalizada.

Abaixo, um vídeo onde Marco Antônio Alencar exercita a sua extravagância, tudo por conta do alegre e extrovertido povo carioca.

Amanda Acosta

[email protected]

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Variedades

loading...