De dentro da cadeia Dirceu ditava diretrizes ao PT

O mal cometido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), com a soltura de José Dirceu, está explicitado na carta que o petista escreveu na prisão, divulgada nesta quarta-feira (3) pelo jornal ‘O Estado de São Paulo’.

A tal carta escrita em 14 páginas de papel almaço, entre inúmeras considerações políticas e críticas a Operação Lava Jato, José Dirceu traça uma estratégia para o PT. 

‘Nada será como antes e não voltaremos a repetir os erros. Seguramente, voltaremos com um giro à esquerda para fazer as reformas que não fizemos na renda, riqueza, poder, a tributária, a bancária, a urbana e a política. Não se iludam vocês e os nossos. Não há caminho de volta. Quem rompeu o pacto que assuma as consequências’. Dirceu ainda disse que nada impede que o partido apoie, se for o caso, a candidatura de Ciro Gomes (PDT) em 2018. ‘Devemos nos unir no 1.º ou, seguramente, no 2.º turno’.

Na longa missiva, o petista ainda defende anistia ao caixa dois e afirma que juízes e promotores devem obediência à lei, em vez de ‘interpretar e legislar como acontece hoje em Curitiba’. “Juízes e promotores têm lado, ideologia, são aliados de forças políticas e econômicas que deram o golpe. Foram transformados em celebridades’.

Dirceu ainda pregou a aprovação da Lei de Abuso de Autoridade e a rejeição as 10 medidas contra a corrupção.

Imaginem o que esse homem não irá aprontar agora que está solto.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política

loading...