As duas faces de um crime

A investida do poder público contra a abominável Cracolândia, entre tantas revelações, trouxe a público o dilema vivido pelo jovem Andreas von Rickthofen.

O rapaz teve a vida marcada por uma tragédia. Sua irmã Suzane planejou o assassinato dos pais, um crime bárbaro, que chocou o país, em 2002.

Assim, com um sobrenome incomum, Andreas vive marcado pelas lembranças do crime. Onde quer que esteja é reconhecido como o irmão de Suzane. Andreas, não demonstrava abatimento com a incômoda situação. Cresceu, estudou, foi brilhante na faculdade, graduou-se em Farmácia e Bioquímica e tornou-se doutor em Química pela USP. Tudo indicava que teria um belo futuro.

Porém, quando deixou os estudos e teve que enfrentar a vida profissional, Andreas não suportou o peso de um passado, pelo qual não teve nenhuma responsabilidade e onde foi tão somente mais uma vítima.

No dia 30 de maio, o jovem Andreas Von Rickthofen, hoje com 29 anos, foi encontrado em estado de surto, apresentando sinais de uso de drogas, com roupas e cabelos em mau estado.

Quase um trapo!

Possivelmente, vítima do crack.

Enquanto isso, a irmã Suzane, ainda presa, mas perto de ser definitivamente solta, vive uma outra realidade, bem diferente, é quase uma ‘estrela’.

Noiva de um empresário, sempre bem arrumada e aparentemente feliz, quando deixa a cadeia para saídas temporárias, experimenta o status de verdadeira ‘celebridade’, sendo requisitada para ‘selfies’ e autógrafos.

Suzane faz selfie com o noivo e um fã
Suzane faz selfie com o noivo e um fã

Duas situações totalmente antagônicas.

Inacreditável e lamentável.

Por oportuno, abaixo veja um vídeo extremamente realista sobre a Cracolândia. A história do lugar narrada por um ex-frequentador.

Jaqueline Lombardi

[email protected]

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Sociedade

loading...