Caso envolvendo Cristiano Zanin é criminoso

O caso descoberto nesta terça-feira (6) envolvendo o advogado do ex-presidente Lula é gravíssimo e deve ser reprimido com rigidez pelo Poder Judiciário.

Talvez, inconformado com as sucessivas derrotas que lhe são impostas pelo juiz Sérgio Moro, esse sujeito que advoga para Lula resolveu trapacear de maneira absolutamente escandalosa, revelando que a maneira que escolheu para desenvolver o seu ofício é rasteira, aética e sem escrúpulos.

Zanin, para obter proveito processual, ludibriou um desembargador do Tribunal Regional de Recursos da 4ª região (TRF 4), a 2ª instância do juiz Sérgio Moro, forjando uma deslavada e imperdoável mentira.

O advogado de Lula ingressou com habeas corpus na tentativa de impedir que Emílio Odebrecht e Alexandrino Alencar depusessem ao juiz Sérgio Moro.

A alegação do defensor do ex-presidente Lula é de que teria sido surpreendido com a inclusão de vídeos da delação da Odebrecht nos autos, sem que ele tivesse tempo hábil para analisar. Zanin informou no HC que só ficou sabendo dos tais vídeos há poucas horas antes da audiência.

Diante disso, como os depoimentos já haviam sido prestados, o desembargador João Pedro Gebran Neto, acreditando na palavra de Zanin, determinou uma nova oitiva de Odebrecht e Alencar.

Logo após receber a comunicação do tribunal, o juiz Sérgio Moro constatou que Zanin estava mentindo e já informou o TRF.

O juiz da República de Curitiba demonstrou através dos registros eletrônicos de acessos aos autos, que Zanin havia acessado os documentos que alegara desconhecimento pelo menos 8 vezes na última semana.

O caso é absurdo e lamentável. Esse advogado é tacanho e amoral e precisa ser punido severamente. Tal e qual o seu mais famoso cliente.

A atuação de Cristiano Zanin lembra o personagem 'Dick Vigarista', da Corrida Maluca.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...