Militares decepcionam intervencionistas com condecoração a políticos atolados na Lava Jato

Este é para você, amigo ou inimigo, que defende uma onírica ‘Intervenção Militar’ como salvação para a quadra política e institucional medonha e insuportável vivida no Brasil neste momento da história. Com todas as vênias, peço que leia.

Na quinta-feira, O8 de junho de 2017, enquanto o ministro-relator Herman Benjamin fazia a leitura de seu histórico voto e Gilmar Mendes assava a mais vergonhosa pizza já produzida no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os ilustres comandantes das Forças Armadas condecoravam dezenas de políticos de colarinho-branco atolados até o pescoço nos crimes investigados pela Operação Lava Jato.

Na sede do Clube do Exército, em Brasília, sob a batuta do ministro Raul Jungmann, os militares entregaram a Ordem do Mérito da Defesa a 11 ministros do governo Michel Temer — entre eles os encrencadíssimos Eliseu Padilha, Torquato Jardim e Aloysio Nunes —, aos governadores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pernambuco, além de outros 87 deputados federais e senadores, destacando-se a ‘honraria’ entregue ao atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Ao todo, 333 pessoas foram ‘agraciadas’.

A quem interessar possa, segue o link oficial para a empolada matéria publicada no portal do Ministério da Defesa (veja aqui)

Então, antes de sair por aí pedindo ‘Intervenção Militar’, talvez seja oportuno saber em qual cumbuca as Forças Armadas do Brasil estão enfiando a mão... o braço... a cabeça... o corpo todo!

Coisas de >#BananeiraJeitinho! Segue o enterro... 

Helder Caldeira

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política

loading...