Temer pode usar Minc como ‘moeda de troca’ para devolver foro especial para Rocha Loures

Com os sucessivos pedidos de demissão de Roberto Freire e João Batista de Andrade, a atenção do Brasil deve se voltar para o nome que o presidente Michel Temer indicará ao posto de titular do Ministério da Cultura.

Caso Temer use a pasta como moeda de troca e indique um dos quatro deputados federais do PMDB do Paraná, a consequência imediata será o retorno à Câmara de Rodrigo Rocha Loures, o famigerado "homem da mala", flagrado recebendo a primeira "semanada" de R$ 500 mil dos R$ 480 milhões que teriam sido prometidos pela JBS.

Preso na carceragem da Polícia Federal em Brasília — após brevíssima estada no Complexo Penitenciário da Papuda — desde o último dia 03 de junho, por determinação do ministro Edson Fachin no âmbito da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Rocha Loures permanece como 1º Suplente do PMDB do Paraná na Câmara dos Deputados.

Noutras palavras, se Temer indicar Hermes Parcianello, Osmar Serraglio, João Arruda ou Sergio Souza para assumir o Ministério da Cultura, ainda que preso, Rodrigo Rocha Loures reassume a vaga paranaense e reconquista o direito ao Foro Privilegiado.

É preciso manter os olhos bem abertos... 

Helder Caldeira

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política

loading...