Criminoso atira à queima-roupa em vendedora e usa discurso esquerdista para justificar o ato e culpar a vítima (veja o vídeo)

Já é fato bem conhecido que a esquerda brasileira não mede esforços quando o assunto é defender vagabundos e criminosos. Maria do Rosário, por exemplo, é um nome que vem à mente com frequência sempre que ouvimos falar que o pessoal dos Direitos do Manos estão mexendo os pauzinhos para defender algum latrocida enquanto a vítima e sua família são abandonados à própria sorte, quando não ao azar de a vítima depender do sistema público de saúde.

Mas dessa vez não estamos falando nem do ex-presidente Lula, nem de Zé Dirceu, nem de João Vacari Neto ou qualquer outro criminoso de colarinho branco. O vagabundo em questão se chama Rafael Costa e foi preso após atirar covardemente à queima-roupa em uma vendedora de 30 anos que não reagiu ao assalto.

Ele afirmou que a culpa era da vítima, que não escutou os conselhos sobre “não reagir a um assalto” e quis “bancar a valente”. Mas a culpa não era exclusivamente da vítima, e sim, também, “da sociedade”, que não lhe oferece um emprego. Porém, ao contrário daquilo que os intelectuais e políticos de esquerda afirmam, ele não estava roubando para não passar fome. Segundo o próprio, roubava para “presentear a família”.

Paulo Eduardo Martins fez questão de observar aquilo que muitos já alertavam há muito tempo: a esquerda oferece as justificativas morais para o crime: “Você só está roubando porque foi roubado primeiro”.

Fica mais uma pergunta: quando é que as “defensoras das mulheres” dessa esquerda psicopata vão levantar a voz? O que pesa mais para essa turma? Defender a MULHER, TRABALHADORA baleada por um HOMEM DURANTE O EXPEDIENTE, ou defender o coitadinho, oprimido pela sociedade?

Fiquemos no aguardo... embora já conheçamos o provável desenrolar...

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Sociedade

loading...