Maria Catherine Rabello

Pernambucana, amante da poesia. “Amo minha vida e todos que fazem parte do meu mundo. Poesias são sonhos vividos, lembrados ou desejados. Poesia acalenta a alma e o coração. Sonhar é viver, viver feliz! Amo poesias, poesias de amor sempre! Sou sonhadora e feliz. Meus rabiscos são meus segredos, meu baú de sentimentos. Apresento lindas poesias de muitos corações iguais ao meu. Amar sempre!

Só Poesia : Melodia dos Ventos...

Melodia dos ventos...

MELODIA DOS VENTOS...

Perco-me em escuros labirintos
as flores que encontrei pelos caminhos
eram pedras que roubaram os meus segredos
e o meu sorriso!

Deitada nos braços da solidão
muito além de mim ...
no silêncio que perpetua esta distancia de ti
palavras mudas nos versos desfeitos...

Vejo o passar do tempo
nada é como sonhei
- implacável destino -
perguntas ficaram sem respostas
nas andanças apenas sombras de mim!

O vento entre as folhagens parece-se
com notas de uma melodia assoviada
eterna musica dos anjos
qual sussurros de uma paixão
canções harmonicas
espalhadas pelas ondas do mar...

Os sonhos levados pela brisa suave...
Leva-me também ó vento
inebria-me com tua canção mais linda
Devolve-me àquele a quem sempre amei
e que se foi...

...deixando-me apenas
lembranças desse amor
que ultrapassa distancias e
na sua essencia
soltar a voz exprimindo
nossos sentimentos!
*celina vasques*


.. Lasciva e Sedutora...

Quando triste... Basta-me pensar em ti
numa noite enluarada de céu estrelado
e meu mundo se alegrar por tanto tanto
te amar.
Minha alma levita revela-me mistérios
desta madrugada de véus de nuvens
de luar, de tão bela é inspiradora é tão
lasciva e sedutora.
De universo fiel que tanto me encanta
neste breve instante de magia
da cumplicidade de nós dois.
Dos momentos suaves de extrema
doçura
que minha fragrância encontra a sua
e nossa essência se mistura.
Caio no céu de mim e leva-me as
emoções por essa paixão
irei contigo a qualquer lugar desse
mundo
só pra te encontrar, trazer a paz que
tanto procuro.
Por amar-te tanto quero voar
encontrar-me porque me perdi de mim
olhar o infinito que me levará ao
estrelado recitando versos de amor.
Na fração dos segundos dos minutos
de silêncio no meu mundo de felicidades.
*Poetisa Sandra Pires*


Sei que as noites também pode ser nossas,
Que anoitecer a teu lado é um desejo por acontecer,
Que és um sonho de carne viva e que a minha vida,
Afinal, só começou após a tua chegada.
Enfim, agora, em quem sentir que não a ti?
Em quem pensar se não for em nós?
É que começo a esquecer-me de quem sou
E, sem me aperceber, sinto-me uma palavra
Que emociona o pensamento quando a mente
Não mente por querer-te, constantemente, na minha
Mente.
...É bom ter-te ( sem ter-te).
...É bom seres minha (e nem sabes)
Melhor, seria saberes que seres minha
É mais que ter-te.
*Rogério Carreira /RP*


OUSADIA!

“Gosto do toque forte da música!
Da força que existe por trás de uma letra; a sua história!

De gente que mete a cara e faz;
Que não tem medo, que encara as situações!
Gosto do quente, do frio... Não do morno!
Nem do mais ou menos!
Sou intensa!
De gente ousada, que se atreve sendo diferente,
Fazendo a diferença!
O olhar firme que atravessa a Alma e toca fundo o coração!
O abraço que fica no corpo, mesmo depois de soltar!
Gosto de quem questiona, duvida, que não aceita tudo de “primeira”...
Isso revela inteligência!
Para depois despertar a Consciência da Força Interior, e perceber as capacidades adormecidas... É simplesmente FANTÁSTICO!
A isso eu chamo de OUSADIA!
E toda pessoa ousada é atrevida!
Mas, você sabia que a Vida também é atrevida e ousada?
É só olhar ao redor!”
.... *~ Gênice Suavi*


PURO CLICHÊ!

Não!
Não me culpes por tua insensatez tétrica,
que insurgindo contra o melhor que pude ser,
desalinhou meus traços e redesenhou meu caminho.
Não me culpes por ser quem és... Toda a dor e toda beleza é
somente tua, e há de ser teu e apenas teu, o valor
a ser pago por barganhares aço a preço de ouro...
Fugiu de ti todo e qualquer brilho e nem
a pedra filosofal faria tamanha alquimia.
Quase nem creio que és a mesma que um dia falou de amor!
Quão deturpados estão hoje teus valores
e embora tenhas vivido vãos amores, nada aprendeste
sobre o que é amar!
Não sei se por ti lamento ou apenas te esqueço,
pois hoje já não resta nem o apreço de um dia
por ti ter sido menos eu!
O que outrora pareceu raro, revelou-se banal,
tão trivial que perdeu-se na multidão dos afins.
Extraordinário mesmo só a certeza de que por tanto
tempo conseguiste encortinar quem és!
Quão astuta podes ser!!
E eu, que assim como tu sou tão humana e predisposta,
deixo para ti a resposta que só quem é vítima
pode ter: Cresce, aparece e segue adiante...
Pois nem eu sou mais como dantes e já caminho
melhor sem você!
E se a vida é mesmo justa, e nos cobra o preço
que cada ato custa... Teu destino será puro clichê!
*Gil Façanha*


Indefinido!

Ainda que minha poesia traga amor...
Sofro de solidão!
São tantos os sentimentos a me causarem dor...
Aos poucos morre meu coração!

Ainda que declame versos com alegria...
Chora meu querer!
Padece minha alma em agonia...
Por onde anda você?
Mergulho no brilho da lua...
Busco inspiração!
Por ser a vida, uma verdade crua...
Crio em mim uma doce ilusão!
Sou tudo e nada!
Sentimentos e ressentimentos!
Um abismo na estrada!
Eternidades e momentos!
Sou a brisa da manhã...
O olho do furacão!
Calmaria e afã!
Sou luz e escuridão!
Sou o arco e a flecha!
A espada e o escudo!
Sou a porta, a janela, a fenda e a brecha!
Sou quase nada e um pouco de tudo!
Ainda que minha poesia seja a flor...
Também é o próprio espinho!
Exala ao mundo seu amor...
Repele que não lhe sabe dar carinho!
Sou prisão e liberdade!
O desejo do fruto proibido!
Um pouco de mentira e muito de verdade!
Sou precisamente... indefinido!
*Gérson Prado*


O MESMO BEM

Por onde andei... amigo, cantando...
Nada de mal encontrei comigo!
Pois, por onde passei fui edificando
O amor, que agora, divido contigo!
Nesta canção que te canto exaltando,
Trago-te aos pés descalços abrigo!
Ao coração o sorriso espelhando
O mesmo bem, que me tens, consigo!
E, cantemos ao mundo assim: veja,
A vida se traça quando se deseja
O melhor perfume as mãos amigas...
Pois, o mal invejoso desencontrado
Tende a morrer por se querer elevado
O amor de graças e de belas cantigas...
*© Poeta Dolandmay Walter*


Imperfeita!

Solta
Louca!
Descubro
Cubro!
Arranco
O véu
Da hipocrisia

Sem euforia
Canto alegria
Em doces
Sussurros
Cantarolar!
Erro estrofes
Misturo todas
Mas pouco
Importa!
Não sei cantar!
Ando descalça
Prossigo
Andando
Rindo e chorando
Tem chuva e Sol
A iluminar!
*Marilene Azevedo* 


Entendi por fim, o que é irreal
Estava à espera de um sinal
Um Sim de mim mesma
Mas acabei me enganando
Fiquei debruçada na janela
Me esperando
E eu passei, nem vi
Me sucumbi
Atravessei
Sumi
Mas sempre é tempo
Estou voltando!
*Ka Santos*


AMOR - AMIGO

Falar de um “amor” intensamente “amigo”
é levar delicadamente um coração
ao encontro de outro coração.
Nesse momento as almas se entrelaçam
em uma só sintonia de amor,
que transcende ao entendimento.
É o amor sobrenatural,
o amor- amigo que afaga,
que conforta,
que beija,
que sente.
É o amor distante e próximo,
que tem sobre Ele a magia do encontro.
É iluminado pela Luz Divina.
Palavras de desejos são interiorizadas,
satisfazem, alegram, trazem felicidade.
Pequenos gestos de amor,
transmitidos de forma especial,
Se eternizam.
*Lenilce Azevedo*

Maria Catherine Rabello

Pernambucana, amante da poesia. “Amo minha vida e todos que fazem parte do meu mundo. Poesias são sonhos vividos, lembrados ou desejados. Poesia acalenta a alma e o coração. Sonhar é viver, viver feliz! Amo poesias, poesias de amor sempre! Sou sonhadora e feliz. Meus rabiscos são meus segredos, meu baú de sentimentos. Apresento lindas poesias de muitos corações iguais ao meu. Amar sempre!

Mais de Maria Catherine Rabello

Comentários

Notícias relacionadas

loading...