Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Quando a ditadura do politicamente correto tenta nos calar, melhor, nos assassinar virtualmente

A liberdade de expressão é o nosso maior bem. Atualmente, tentativas variadas de nos amordaçar tem sido uma constante.

Políticos totalitários, juízes intocáveis, grupos sectários, ladrões inconformados, todos, sonham com esta mordaça.

As redes sociais tem prestado um grande serviço à democracia mundial, ao quebrar o controle e o monopólio da informação, antes restrito à grupos econômicos e políticos poderosos.

Está sendo difícil, para os que se beneficiavam deste controle, conviver com esta nova fase de liberdade proporcionada pelo desenvolvimento tecnológico.

Divergência de ideias e de opiniões, deveria ser encaradas com naturalidade em uma sociedade moderna e democrática, já que é este embate que nos leva à evolução.

Está se tornando comum a censura nas redes sociais. Basta um grupo autoritário, geralmente de esquerda, se sentir "ofendido", para sermos denunciados e censurados.

Qual a estratégia utilizada? Como conseguem seu intuito?

É simples: um grupo devidamente organizado faz uma denúncia em massa aos administradores do Facebook, acusando uma determinada postagem de ofensiva. Pronto, agora é só esperar.

Em breve você será advertido, suspenso temporariamente, e/ou até mesmo, ter a sua conta excluída definitivamente do aplicativo.

Será que devemos aceitar passivamente esta imposição autoritária?


Ser denunciado, julgado, condenado e punido: por quê e por quem? Esse tipo de atitude não nos permite uma contra argumentação e muito menos uma defesa justa.

Sentiu -se ofendido? Processe o suposto agressor. É mais honesto, justo e democrático.

A ditadura do politicamente correto invadiu a internet. Para você ser punido basta pensar um pouco diferente do que a grande mídia tenta impor à nossa sociedade.

Se você se desviar da manada, pode ter a certeza que em breve uma guilhotina será suspensa sobre o seu pescoço e, ao menor "deslize": Zump !!!! a lâmina te decapitará, e você deixará de "existir" no mundo virtual do Facebook.

Pode parecer pouco, mas não o é.

O assunto é grave, delicado, e merece toda a nossa atenção.

O nosso maior bem, a nossa LIBERDADE DE EXPRESSÃO, está sendo ameaçada. Precisamos lutar pela manutenção deste importante direito.

Quantos já não passaram(rão) por esse constrangimento?

Não podemos nos esquecer do poema de Maiakovski que nos faz um importante alerta:

 

"[...]

Na primeira noite eles se aproximam

e roubam uma flor

do nosso jardim.

E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem;

pisam as flores,

matam nosso cão,

e não dizemos nada.

Até que um dia,

o mais frágil deles

entra sozinho em nossa casa,

rouba-nos a luz, e,

conhecendo nosso medo,

arranca-nos a voz da garganta.

E já não podemos dizer nada.

[...]"

Fica aqui registrado o meu protesto e a minha indignação.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas

loading...