Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Uma emissora que perde dia-a-dia sua credibilidade

O que levaria uma empresa de telecomunicações apostar todas as suas fichas em um "cavalo manco"?

Que desespero é esse? O que teria a perder caso a verdadeira democracia saia vencedora deste conturbado processo?

Uma empresa acostumada a estar "sempre" ao lado dos vencedores, desta vez, desafia a lógica e a vontade popular, ao apoiar um projeto ideológico da esquerda radical, repudiado veementemente pela maioria da sociedade brasileira.

Seus interesses econômicos imediatos, seu prestígio frente a sociedade consumidora, está sendo colocado de lado, comprometendo sua credibilidade.

Estão preferindo priorizar seus interesses obscuros e anti-democráticos aos verdadeiros interesses da Pátria verde amarelo.

Sob o título: "Rede Globo aparece no top trends mundial da internet como #Globolixo. Dano é irreversível atinge até mesmo anunciantes", o site "Imprensa Viva", fez uma matéria denunciando os efeitos comerciais maléficos que esta emissora começa a colher.

Quem te viu e quem te vê.

Na década de 70, Cid Moreira, com sua voz inesquecível, explica à sociedade brasileira a necessidade da intervenção militar como única forma de evitar que o nosso país entrasse em uma sangrenta guerra civil, transformando-se em uma república comunista. Veja o vídeo:


O que será que existe por trás deste apoio inconsequente à projeto ideológico da esquerda radical (ideologia de gênero, política gayzista, incentivo aos conflitos raciais, ataques infundados às religiões judaico-cristãs, campanha difamatória às nossas FFAA, desestímulo ao patriotismo, apoio à política de imigração globalista, etc)?

Esta é a pergunta que fica no ar. O que há por trás desta política?

Abaixo a matéria sobre a Rede Globo no top trends mundial da internet como #Globolixo, publicada no site Imprensa Viva:



Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas

loading...