Zé, o choro e a confissão

José Dirceu chorou entre os companheiros petistas, na quinta-feira (17). A informação é da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, tida e havida como porta voz do petismo.

Entre choros e lágrimas, o meliante petista teria garantido aos demais meliantes que por ora continuarão soltos, que ‘segue firme na intenção de jamais fazer delação’.

'Fui formado numa geração em que a delação é a perda da condição humana'.
“No Exército Vermelho [da antiga União Soviética] tinha um ditado: para ser covarde, é preciso ter coragem. Porque os traidores eram sumariamente eliminados pelo comissário político na frente de batalha”, disse o ex-ministro.

Ora, vamos raciocinar. Só delata ou só resolve não delatar, quem tem o que delatar.

Quando Zé garante aos comparsas que não irá dedurar ninguém, logo deixa implicito que tem o que dedurar, que não é inocente e que suas lágrimas são de crocodilo.

Sendo assim, que apodreça na prisão...

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política