A flagrante “Falsidade Ideológica” do advogado de Lula

O PT vem tentando de todas as formas impedir que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumpra a sua pena como preso comum.

Nesse sentido encontrou um ferrenho obstáculo, a juíza da Vara de Execução Penal da Justiça Federal, Carolina Lebbos.

Observe-se que até hoje, apenas uma única decisão de Carolina Lebbos foi modificada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), a que refere-se à proibição imposta pela magistrada de que o deputado Wadih Damous frequentasse a cela de Lula na condição de advogado.

No entendimento de Carolina, sempre rígida e brilhante, o objetivo do ‘advogado’ era frequentar a cela do presidiário para fazer politicagem e se transformar numa espécie de ‘garoto de recado’ do meliante petista.

Essa decisão da juíza foi modicada provisoriamente por uma liminar do desembargador João Pedro Gebran Neto.

Nesta segunda-feira (21) o deputado, dublê de advogado, fez a sua primeira visita ao cliente.

Após o término da reunião, Wadih declarou:

“O lançamento da pré-candidatura do ex-presidente Lula vai acontecer no dia 27 de maio. Essa é a vontade dele”.
A declaração, por si só, é demonstração incontestável de que o advogado não está advogando e que a juíza estava correta.

Pura falsidade ideológica de um advogado politiqueiro.

Que no mérito, o TRF-4 acabe com mais essa farra.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça