Ministro revê posicionamento e TSE encerra na terça-feira a farsa da candidatura de Lula

O golpe de misericórdia no presidiário e na sua combalida Organização Criminosa, travestida de partido político, será dado na próxima semana.

Um deputado federal fez uma consulta ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), questionando se um réu condenado em segunda instância pode se candidatar à Presidência - e, caso eleito, pode assumir o cargo.

O ministro relator, Napoleão Maia, manifestou-se no sentido de que o TSE não deveria analisar a questão.

O Ministério Público Federal (MPF), em sua cota, considerou que o questionamento se refere a uma tese e deve ser respondido.

Ante o posicionamento do MPF, o ministro reviu sua posição e decidiu levar o caso para discussão em plenário.

Na terça-feira (29) sai o veredito.

Caso o entendimento do TSE seja no sentindo de que um condenado em 2a instância não pode ser candidato a presidente da República, a farsa estará definitivamente encerrada.

A previsão é de decisão unânime.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça