Blogueiro prostituto tenta vincular Bolsonaro a Lava Jato e recebe resposta dura da força tarefa

O blogueiro Reinaldo Azevedo, disposto a tudo para aparecer e ganhar cliques, infame e irresponsável, publicou nesta sexta-feira (8) um artigo onde tenta vincular a Operação Lava Jato com uma determinada candidatura presidencial.

Uma coisa sem nexo, absolutamente esquizofrênica, totalmente descabida.

A Força Tarefa decidiu responder, ante a relevância do assunto tratado no infundado artigo. (Veja aqui o artigo)

A resposta não tardou. Ética, contundente e arrasadora.

Veja abaixo:

Nota da Força tarefa Lava Jato de Curitiba sobre inverdades lançadas contra a operação por blogueiro.
Força-tarefa Lava Jato repudia tentativa de forçar vinculação entre operação e candidatos
Nenhum de seus integrantes fez qualquer manifestação de apoio a algum pré-candidato
Em resposta a artigo de Reinaldo Azevedo (Bolsonaro é o nome da Lava Jato) publicado hoje no jornal Folha de S. Paulo, com trechos reproduzidos no blog do autor, a força-tarefa Lava Jato na Procuradoria da República no Estado do Paraná (PR/PR) esclarece que nenhum de seus integrantes fez qualquer manifestação de apoio a algum pré-candidato a qualquer caro nas eleições deste ano, seja em público ou em grupos de whatsapp.
Também é descabido afirmar que o objetivo dos procuradores é minar o sistema político do país. O objetivo da operação é investigar e denunciar crimes de corrupção cometidos por pessoas econômica e politicamente poderosas, que usam dos valores gerados pelas práticas ilícitas para, além de seu enriquecimento pessoal, deturparem a vontade popular pelo abuso do poder econômico nas eleições. Esses dois objetivos, promover a responsabilização de crimes e a defesa do sistema democrático, são incumbências indeclináveis do Ministério Público nos termos da Constituição Federal.
Seria importante que o autor, para que não seja acusado de irresponsabilidade, leviandade, ou falta de técnica jornalística, apresentasse as supostas conversas que disse ter tido acesso e que teriam embasado suas conclusões. Se não o fizer, deixa claro que fez tais afirmações somente com a intenção de confundir a opinião pública tentando vincular todo o trabalho estritamente técnico, imparcial e apartidário realizado pela Lava Jato indevidamente a um partido, candidato ou ideologia política".

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça