Marina bate firme em partidos de esquerda, mas, por sua incoerência, recebe volta de Ana Paula do Vôlei

A pré-candidata da Rede, Marina Silva, ex-petista, utilizou as redes sociais para dar uma descompostura em toda a dita esquerda brasileira, PT, PCdoB, PDT, PSOL e demais partidos que estiveram juntos durante a era PT.

Marina postou o seguinte:

“Se eu sou de esquerda, direita ou centro? Estou à frente! O mundo é muito mais complexo do que isso. Esquerda que se juntou com Maluf, Renan, Collor e Sarney?”.
Marina tem razão no que diz, mas não tem legitimidade para fazê-lo.

Ora, Marina foi ministra de Lula durante o período compreendido entre 1º de janeiro de 2003 até 13 de maio de 2008. Durante todo esse tempo, a ex-petista conviveu harmoniosamente com Maluf, Renan, Collor e Sarney.

Tanto é verdade, que algumas horas após a postagem mencionada, ela retirou do ar. Nós pegamos:

É aquela história: o teu passado te condena.

Por outro lado, além da absoluta incoerência, Marina é criticada por não tomar posições, exatamente como fez durante os mais de 6 anos que conviveu no PT com figuras que ela abominava. Até sair em 2009, depois que perdeu o ministério e para ser candidata a presidente da República pela primeira vez, em 2010.

Mesmo hoje, Marina adota uma postura sempre apática. Diz que é contra o PT, é contra a corrupção, mas evita criticar com mais veemência o criminoso Lula. É contra Maluf, Renan, Color e Sarney, mas se acovarda e retira a postagem.

Ana Paula Henkel, a ex-jogadora de vôlei, foi cirúrgica em sua crítica.

Nem esquerda (hm, sei), nem direita, nem centro, nem à frente. Sempre em cima. Do muro.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Política