Imprensa petista espalha que Moro era tratado por apelido entre investigados da Lava Jato

O grande algoz do que restou da imprensa petista é o juiz Sérgio Moro.

Sempre será, por ter levado a frente as investigações do saque contra a nação praticado pela organização criminosa comandada pelo meliante Luiz Inácio Lula da Silva.

Essa imprensa de tonalidade marrom, hoje em dia está reduzidíssima. A maioria dos veículos ‘fechou às portas’, tão logo deixou de ser subsidiado pelas generosas verbas públicas dos governos do PT.

O tal DCM é um dos que ainda sobrevivem. Indigesto, vil e pusilânime, tenta a toda hora atacar o juiz Sérgio Moro e demais autoridades que de alguma forma colaboraram ou ainda colaboram no combate à corrupção e aos corruptos.

A nova patacoada é espalhar que Moro também era tratado por apelido entre os empreiteiros investigados na Lava Jato.

Veem nisso uma maneira de desmoralizar o magistrado.

Segundo o infame DCM, Sergio Moro era tratado pela alcunha de Mazzaropi e Deltan Dallagnol era o bispo. O delegado da Polícia Federal Rosalvo Ferreira Franco, que chefiou a Lava Jato no início da operação, era o Maguila. Já o delegado Márcio Adriano Anselmo era tratado nas conversas entre os empreiteiros de Freddy Mercury. Rodrigo Janot foi apelidado de Cavalo Branco e seu procurador de confiança, Marcelo Miller, de Maçaranduba. Não há nada nos processos que corrobore isto.

É pura invencionice de quem não tem mais o que fazer e está totalmente sem rumo.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça