Finalmente um corrupto age com honestidade

No momento em que um sujeito, que em determinado momento de sua vida, se chafurdou no mar de lama da corrupção, admite publicamente que ‘foi corrupto’, é um sinal positivo, demonstração inequívoca de que o país está mudando.

Trata-se de Sergio Côrtes, médico renomado, ex-secretário de saúde do Rio de Janeiro no governo de Sérgio Cabral Filho.

Em entrevista para a Revista Veja, Côrtes admite que se corrompeu, recebeu dinheiro na Suíça e direcionava licitações.

Questionado objetivamente se é um corrupto, o ex-secretário disse o seguinte:

Sim, fui corrupto. A vaidade me corrompeu. Pelos casos que estão aparecendo, não me considero um corrupto igual aos outros. Mas o fato é que não há meia gravidez nem meio corrupto. Existia um sistema, ou um mecanismo como o pessoal agora vem chamando, que me seduziu. Mentalmente, eu me justificava dizendo que não deixava que os contratos fossem superfaturados. A verdade é que as licitações eram viciadas e eu sabia quem ia ganhar. Deixava acontecer. Também recebi dinheiro do Miguel Iskin (empresário que foi preso na mesma operação de Côrtes). Ele depositou 2,5 milhões de dólares para mim na Suíça. Era dinheiro para minha possível candidatura e foi acertado em reunião entre mim, Sérgio Cabral e ele.
Essa confissão de Côrtes pode ser encarada como algo positivo e, talvez, um verdadeiro arrependimento.

Duro é ver aqueles que roubaram insaciavelmente os cofres públicos, estão condenados, mas insistem na enfadonha história de que são honestos.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça