Depois de Nós - está tudo certo

Só há o bem; só há amor

A Indústria farmacêutica, junto a bélica e o sistema financeiro, atuando maciçamente por meio dos conglomerados de comunicação, constituem os ativos mais lucrativos do mundo. São propriedades dumas poucas famílias, constituem menos de 1% da população global e concentram mais de 90% das riquezas todas que há, entre capital e toda espécie de recurso.

A ganância desmedida e a ausência de caráter humano na gestão dessa coisa, trouxe o capitalismo à beira do caos. Vivemos já os sinais de esgotamento do sistema econômico por absoluta inépcia das cabeças, cada vez mais ocas, a cada dia em menor número, concentrando perigosamente o poder na Terra.

Não, não é ruim.

Estamos à beira dum colapso libertador.

Novo modelo econômico, mais justo e natural, de manifestação voluntária, cada vez mais perceptível em todo o mundo, dá as caras nos gestos individuais de pessoas que oferecem seus préstimos em troca de benefícios pra si ou pra outrem, utilizando-se dos meios de comunicação instantânea.

Me parece tratar tal fenômeno, da humanidade enxergar naquilo que chamamos 'globalização' sua função essencial nas mudanças fundamentais que se fazem, intimamente, em cada indivíduo, cada ser humano.

A Humanidade na Terra acorda pra um Novo Tempo.

O Novo Homem vem chegando, muitos outros da velha cepa se transformando.

Só há o bem; só há amor. Tudo vem pra bem.

Está tudo certo.

Bom dia.

João Henrique de Miranda Sá

Jornalista independente em Campo Grande - MS.

Siga-nos no Twitter!

Mais de João Henrique de Miranda Sá

Comentários

Notícias relacionadas