Manuela e o cheiro de mofo e naftalina

Manuela D’Avila, candidata do PC do B à Presidência no Roda Viva da TV Cultura.

Inteligente, simpática, articulada e com posições políticas claras - a maioria delas absurdamente equivocadas; outras razoavelmente estruturadas e lançadas em cima de frases feitas e ideias filosóficas e econômicas totalmente superadas.

Pobreza mesmo é o conjunto dos entrevistadores, que nivelam o debate por baixo, deixando as respostas rodarem como a cadeira tendo como o eixo o método sofista, que não responde nada - só vira palavras.

Uma enroladora simpática e simplesinha ideologicamente.

As teorias da candidata para o Estado estão sintonizadas com o início do século XIX.

Uma jovem política velha com cheiro de mofo e naftalina.

E olha que isso foi o melhor que a esquerda conseguiu produzir como liderança política e dirigente partidário. A vanguarda do atraso. Com todo o respeito é claro.

Luiz Carlos Nemetz

Advogado membro do Conselho Gestor da Nemetz, Kuhnen, Dalmarco & Pamplona Novaes, professor, autor de obras na área do direito e literárias e conferencista.
@LCNemetz

Comentários