URGENTE: Defesa de Lula entra com novo recurso e "exige" novo relator

‘Os advogados [de Lula] querem que a ação, uma reclamação constitucional, seja sorteada entre os outros quatro ministros do STF (Ricardo Lewandowski, Toffoli, Gilmar Mendes e Celso de Mello), excluindo Fachin. Quer (sic) que o relator sorteado conceda liminar para soltar Lula e que depois disso a Segunda Turma reconheça que Fachin usurpou a competência da turma ao remeter o pedido dele ao plenário.’

A defesa de ex-presidente não está satisfeita em praticamente monopolizar o STF com seus recursos diários, todos batendo na mesma tecla (é a estratégia de cobrar o mesmo pênalti tantas vezes quantas forem necessárias, até a bola entrar).

Quer que suas ações sejam julgadas pela segunda turma, não pelo plenário.

E que o sorteio, na segunda turma, exclua um dos juízes.

Porque, para a defesa, o MP é suspeito, Moro é suspeito, Fachin é suspeito. O sistema judiciário, como um todo, é suspeito.

Insuspeitos são Gilmar, Toffoli e Lewandowski.

O próximo passo deve ser exigir a criação de uma terceira turma exclusiva para o ex-presidente, e dedicada a ele em horário integral, composta pelos três insuspeitíssimos juízes, e na qual baste um voto a favor do réu para que ele seja absolvido.

Ou, quem sabe, um esquema que nem precise do voto: o carimbo de protocolo já garanta a absolvição.

Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Eduardo Affonso

Comentários

Notícias relacionadas