Para petistas tática de manter presidiário candidato é perfeita

Alguns petistas graduados começam a admitir que a insistência na manutenção de Lula como candidato não passa de uma estratégia com o intento de ‘segurar’ os votos do meliante.

Nesse sentido, confessam que o objetivo vem sendo alcançado.

Com Lula ‘candidato’ conseguem segurar os ‘esquerdistas’ e evitar a migração para Ciro ou Marina.

Entendem que se Lula tivesse admitido sua saída da disputa, essa migração fatalmente teria ocorrido e a transferência de votos para um eventual ‘poste’ ficaria muito mais complicada.

A crença é de que assim, após o registro das candidaturas, em agosto, com Haddad sendo anunciado o candidato de Lula, ficará mais fácil a transferência de votos.

A tática eleitoral está definida. Lula aparecerá na TV dizendo o seguinte: “Eu, Lula, sou Haddad”. O candidato vai responder: “E eu, Haddad, sou Lula”.

O detalhe é que Lula não tem logrado êxito em suas tentativas de transferir votos.

Sua ultima derrocada ocorreu há poucos dias na eleição fora de tempo no Tocantins. A senadora Kátia Abreu, até então líder nas pesquisas, caiu para a quarta colocação após receber o apoio de Lula.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política