Ruy Sant'Anna

Advogado e Jornalista

Justiça mostra a cara ideológica de uma falsa greve

Lula é pernicioso, sempre prejudicou o Brasil e seu povo. Desde o começo de sua gestão, viu nos petroleiros uma linha de arrumação para se fixar no governo, de olho na sua reeleição. Veja que, no início de 2015, milhares de sindicalistas protestaram Brasil afora “em defesa da Petrobras”. O objetivo era prestar solidariedade aos funcionários da estatal diante do escândalo de corrupção revelado pela Operação Lava Jato, após um ano de trabalho.

As provas que se juntaram contra a baderna organizada para a corrupção dentro da Petrobras mostravam que ela, a Petrobras, tinha de se proteger justamente dos sindicalistas que gritavam “O petróleo é nosso” ou a “Petrobras é nossa”.

Lula “filtrou” gente de seu interesse desde que anistiou (perdoou) dirigentes punidos por participarem de greves consideradas abusivas, veja bem, em 1990. Lá atrás, ainda, no governo de Fernando Collor de Mello. O capricho do ex-presidente Lula retrocedeu de 2003 a 1990 para atender sua pirraça de arrumação político-ideológica. São esses com algumas novidades que estão aí, de novo. Esses petroleiros tentaram iniciar uma greve nacional. Observe também que eles anunciaram uma greve geral e nacional, na área total da Petrobras, para durar 72 horas. Mas a principal reclamação exigia a saída de Parente da presidência da Petrobras. Pretendiam entrar em greve às vésperas de um feriado de fim de semana.

Os petroleiros, braço direito de Lula, queriam abusar da “greve” durante o resto da semana (de quarta a domingo com reflexos na segunda-feira). Queriam desarrumar ainda mais o que já está bagunçado, para darem o arremate no quanto pior melhor. Para eles. O povo e o Brasil que se exploda! Para jogar para a plateia brasileira que apoiou os caminhoneiros, surgiu a CUT, que quis se aproveitar do prestígio dos caminhoneiros e tenta puxar para ela (CUT) e petroleiros tal simpatia.

Não é justo que esses sacripantas queiram sugar o sangue desses trabalhadores que não têm as vantagens que desfrutam os petroleiros. Os petroleiros querem é um desentendimento geral e irrestrito, a título de uma conta que eles fazem e que não fecha. Contra a Petrobras e o povo brasileiro.

Por que eles nunca mexeram uma palha contra a roubalheira que existiu nos governos petistas de Lula e Dilma?

Onde estava a Federação Única dos Petroleiros (FUP), filiada à Central Única dos Trabalhadores, ligada ao Partido dos Trabalhadores, quando assaltaram o fundo de pensão da Petrobras?

Cuidado, caminhoneiros, vocês estão prestes a servir de pano de chão. Estas organizações, FUP e CUT, são tão perniciosas quanto o comando do PT. Também o Brasil não quer guerra de sindicatos nem de “Comandos” de trabalhadores. Não interessa ao Brasil a interferência sacana da política. Essa é a hora de soluções e não de baderna que possa ameaçar a segurança nacional.

Sabia que estávamos sentados em barris de pólvora presos a barris de petróleo, só não sabia quem acenderia o pavio de rastilho para explodir tudo. Aí está uma receita conhecidíssima de baderna nacional preparada para ser deflagrada. Enquanto Lula e Dilma roubavam e permitiam o roubo sistemático, os petroleiros não estavam nem aí, não viam nada.

Não faltava mais nada. A CUT e FUP mostraram. A Justiça agiu a tempo e hora de decretar que esses movimentos ideológicos são ilegais e contra a sociedade brasileira, pois são oportunistas, contra a nação. Os petroleiros mostraram o fósforo. Não conseguiram riscar. Não cabe dúvida nem vacilo diante de tanta ira ideológica, mal disfarçada. Nesse perigoso cenário, creio na solução pela lei e ordem, e dou bom dia, o meu bom dia pra você.

Ruy Sant'Anna

Advogado e Jornalista

Siga-nos no Twitter!

Mais de Ruy Sant'Anna

Comentários

Notícias relacionadas