Ministra impõe derrota a Ciro e mantém matéria publicada no Jornal da Cidade Online (Veja o Vídeo)

O pseudo democrata Ciro Gomes montou um gigantesco aparato jurídico com o objetivo de tentar ‘limpar’ o seu passado, propondo ações no sentido de retirar do ar notícias e vídeos publicados que não lhe convém e depõem contra a sua vida pregressa.

Felizmente, a investida contra a liberdade de imprensa começou muito mal.

No exercício da presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ministra Rosa Weber indeferiu dois pedidos de liminar do candidato do PDT à presidência da República. Um deles refere-se a matéria publicada pelo Jornal da Cidade Online.

Nas petições, o PDT alegou que as matérias e vídeos tinham o nítido propósito de prejudicar a imagem de Ciro Gomes perante a população, além de divulgarem informações inverídicas contra o pré-candidato.

Ao indeferir os pedidos de liminar, a ministra Rosa Weber afirmou que não se extraem das publicações elementos suficientes para caracterizar qualquer “transgressão comunicativa”, uma vez que os conteúdos não apresentam “inverdade inconteste e patente”, mas “informações prejudiciais que tanto podem ser verdadeiras ou não”.

Ainda de acordo com a ministra, no contexto das competições eleitorais é preciso preservar, tanto quanto possível, a intangibilidade da liberdade de imprensa.

“Essa condição impõe, como consequência, que as autoridades jurisdicionais se abstenham de banalizar decisões que limitem o seu exercício, somente intervindo em casos justificados e excepcionais”, observou.
Ao final de sua decisão, a ministra determinou o seguimento da análise das representações pelo TSE. O ministro Carlos Horbach é o relator das ações.

Uma das matérias que tem causado extremo incômodo a Ciro diz respeito a codinomes mencionados em planilhas da Construtora Odebrecht, relativos a eventuais pagamentos de propina.

O Jornal da Cidade Online continuará firme no seu preceito de que “Um jornal consciente não abre mão de seu direito de crítica”.

Veja aqui a matéria que Ciro tentou excluir: Ciro, o falastrão, era “Senhor Sardinha” na lista de propina da Odebrecht

Veja o vídeo:

Fonte: TSE

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça