Dodge descobre encontros proibidos entre Lindinho e Léo Pinheiro

Mais uma história escabrosa envolve o senador Lindbergh Farias.

Tudo indica que o saltitante petista atuou no submundo das ‘medidas provisórias’, em prol dos interesses da Construtora OAS.

As investigações estão em andamento, mas a procuradora geral da República, Raquel Dodge, já afirmou ao Supremo Tribunal Federal (STF) que os indícios da trama são bastante fortes.

A propina repassada para Lindbergh teria sido de R$ 700 mil, por sua atuação em torno da MP 600, que simplificou as licitações de obras em aeroportos, onde a OAS na época, entre 2013 e 2014, concentrava boa parte de sua área de atuação.

No celular de Léo Pinheiro foram encontrados o agendamento de encontros proibidos com o senador, que na época presidia justamente a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

A investigação já detectou que o pagamento da propina teria sido feito mediante pagamentos de serviços de publicidade em caixa dois.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça