Stédile anuncia grevistas e diz que Cármen Lúcia tem que “criar vergonha na cara”

Um bandido desaforado, desrespeitoso e imoral. É esta a melhor definição de João Pedro Stédile, o líder do malfadado Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Nesta terça-feira (31) ao anunciar os 6 voluntários que irão fazer greve de fome pela soltura do meliante Luiz Inácio Lula da Silva, ele novamente agrediu de maneira injusta e imotivada a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

A princípio seriam 11, os grevistas. O apelo “Lula Livre” desanimou 5 deles. Apenas 6 toparam a encenação medíocre.

Stédile, por sua vez, disse que o final da greve depende da ministra.

“O caminho para que os seis companheiros saiam da greve passa pela dona Carmen Lúcia criar vergonha na cara”.
Vale lembrar que em 2010 quando dissidentes cubanos fizeram greve de fome para serem libertados da prisão, Lula condenou com veemência e qualificou como ‘insanidade’.
“A greve de fome não pode ser utilizada como um pretexto de direitos humanos para liberar as pessoas. Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade”, disse Lula na época.
De fato, greve de fome não pode servir de pretexto para liberação de bandido. Lula tem uma pena para cumprir.

Ponto final.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça