A Ralé da Esquerda e a Apologia do Aborto no Brasil

Não vou escrever tecnicamente sobre o aborto. Não vou escrever do ponto de vista religioso, nem moral ou filosófico. Não vou discutir a questão do aborto do ponto de vista de “saúde pública” e muito menos ética ou legal.

O enfoque aqui é POLÍTICO. Eu vou discorrer sobre a questão política envolvida com a liberação do aborto e sobre os vagabundos petistas que, formados em Medicina, envergonham a profissão no Brasil ao apoiar a liberação do aborto neste momento.

Assisti, hoje pela manhã, a um show de horrores, uma audiência pública comandada pela petista que foi Presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Quarta Região e hoje é Ministra do STF, Rosa Weber.

Esquizóides, usuários de drogas e aberrações sociais de todos os tipos tomaram o microfone apresentando suas estatísticas combinadas em barzinhos e “rodas de conversa” sobre o tema. Carecas de barba grisalha e rabinho de cavalo deram o toque de intelectual da Escola de Frankfurt para esconder a picaretagem.

Nenhum dos oradores contrários à liberação do aborto teve, durante a audiência pública, a coragem de dizer o que vou escrever agora, e é exatamente por isso que vou fazê-lo!

Liberar o aborto no Brasil é interesse da Revolução Cultural Marxista que está em vigor e não de respeito pelos “direitos humanos”, pela “dignidade da mulher” ou pelas decisões que ela toma a respeito do próprio corpo.

Liberar o aborto não é, nem mesmo, uma questão de saúde pública num país que faz estatística e pesquisa nesta área sob comando da escumalha comunista das Universidades que vem ensinando aos recém-formados que “Medicina é transformação social”.

O doutorzinho da Medicina sai da USP, da UFRGS e de outros covis petistas pensando como Ernesto Che Guevara, querendo viver como Beto Rockfeller e acaba sendo tratado como Bruna Surfistinha pelos Vagabundos Petistas e seus aliados que controlam a “gestão” da rede pública de saúde. Foi assim comigo em 94 e continua assim até hoje!

A escória, a ralé de feminazis com sovaco peludo, o lixo do PSOL e do PT dentro das Universidades, os trogloditas do PC do B que, ocupando “espaços”, se apresentaram para defender a liberação da matança de crianças dentro do útero o faz com interesse de liquidar, de destruir de uma vez por todas, com a única instituição que AINDA sobrou na sociedade brasileira – a FAMÍLIA.

A criança NÃO pode nascer, se nascer tem que ser ensinada que pode trocar de sexo, se não pode trocar de sexo, tem que dançar funk, dar a bundinha, fumar crack e transar com adultos. Se a criança for menininha e engravidar no baile funk, deve ter o aborto imediatamente a sua disposição. Sem filho (cujo pai ela sequer sabe quem é depois de ter “dado” para todo mundo), longe dos próprios pais que já morreram ou não querem mais saber dela, ela tem que ser “órfã” do Estado Totalitário – ela está pronta para ser “cuidada” por Lula, Boulos, Márcia Tiburi e outros psicopatas do Foro de SP e votar neles mais uma vez porque, depois de liberarem o aborto, essa gente da esquerda certamente vai pedir a criação do “Bolsa Aborto” para coitada que “não tem mais nada e abortou”.

Não há, por parte da ralé da esquerda, autoridade moral para pedir liberação do aborto num país com surubas financiadas com dinheiro público e que receberam o nome de “bailes da comunidade”.

Não há espaço para pedir aborto livre quando às 9 da noite, uma Organização Criminosa imunda, que se apresenta como “Rede Globo”, dá aulas de putaria, de homossexualismo e uso de drogas na sua novela diária depois do Jornal Nacional. Não pode haver aborto livre numa Nação de duzentos milhões de imbecis que, todo mês de janeiro, param tudo que estão fazendo para ver putas e trogloditas de academia transando debaixo do edredom da “casa mais vigiada do Brasil”.

Não é digno tornar o aborto uma “questão de saúde pública” num país tomado pelo sarampo, dengue, febre amarela, zika, sem penicilina para tratar sífilis...num país com zumbis vagando pelo centro das grandes cidades buscando desesperadamente por uma pedra de crack...num país cujo governo trouxe falsos médicos para atender à população carente, onde as pessoas morrem como bichos em UPA’s e Emergências imundas e onde a Rede Hospitalar foi destruída por psicopatas comunistas que, ou recalcados por não serem médicos, ou sendo médicos, são recalcados por não serem políticos, realizaram seu sonho de transformar o Brasil num “postão de saúde da comunidade”.

A questão do aborto é questão política sim! O Brasil, o eterno “Brasil Brasileiro”, esse Brasil corrupto, preguiçoso, leniente, quer sempre estar “em sintonia” com os grandes temas mundias, com a eutanásia, pena de morte, células tronco, física quântica, liberação das drogas…

Esse Brasil de merda, hipócrita e nojento, intoxicado, algemado, seviciado, estuprado culturalmente pela escória, pela escumalha da Esquerda da Saúde, quer agora, acossado pelas feminazis peludas do PSOL, pelos gayzistas do PT, pelas lésbicas do PC do B, e canalhas formados em Medicina para servi-los, convencer toda sociedade de que “precisamos da liberação do aborto”. Vão ter ajuda dos padres comunistas da CNBB que estão sempre prontos a fazer sua parte para liquidar com a Nação.

Nós, seus desgraçados malditos, precisamos purgar, exorcizar, exterminar todo bandido petista, todo lixo do PSOL e do PC do B da pesquisa em saúde pública, do controle dos hospitais, das UPA’s, dos postos de saúde e, acima de tudo, das Faculdades e Conselhos Regionais de Medicina!

Nós precisamos retirar dessa gente o direito de falar em “saúde pública” ou “ética médica” jogando-lhes na cara aquilo que fizeram com a formação médica e com a Rede Hospitalar do Brasil!

Se isso acontecer, e só depois disso acontecer, é que eu vou admitir que alguém venha a discutir, SERIAMENTE, a questão da liberação do aborto no Brasil.

Enquanto isso não acontecer (e tão cedo não vai acontecer) o STF, esse puxadinho petista, vai legalizar este crime contra humanidade mas ainda está para nascer o Juiz que vai OBRIGAR um verdadeiro médico a agir contra sua consciência, contra os preceitos éticos da Medicina e contra as indicações TÉCNICAS de terminar a gestação de qualquer mulher.

Precisamos de Obstetras conservadores dentro das Universidades: quem tem que ser “abortado” é cada comunistazinho que está em gestação lá dentro.

Milton Pires

Médico cardiologista em Porto Alegre

Mais de Milton Pires

Comentários