Autoridades do Rio tremem com proposta da PF assumir o caso Marielle

A proposta do ministro Raul Jungmann feita neste domingo (12) para que a Polícia Federal assuma as investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes não foi bem aceita pelas autoridades do Rio de Janeiro.

São decorridos cinco meses de investigação e a solução do caso parece bastante distante.

A alegação para a não aceitação da interferência da PF prende-se a questões jurídicas e na forte oposição do próprio Ministério Público do Rio de Janeiro.

Não é a primeira vez que ocorre a tentativa de colocar a PF nas investigações. Numa outra oportunidade, logo após o crime, a procuradora geral da República Raquel Dodge chegou a aventar a possibilidade, mas recuou ante a reação do MP do Rio de Janeiro.

O procurador Eduardo Gussem, chefe do Ministério Público do Rio de Janeiro propôs até mesmo ação preventiva junto ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no sentido de evitar a ‘intromissão’ da Procuradoria Geral da República no caso.

Nesse compasso, o tempo passa e a solução do caso vai ficando mais difícil e distante.

É o que muita gente quer. O que demonstra que tem ‘peixe graúdo’ envolvido.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça