Gilmar extravasa a sua ira, usa o nome de Moro e diz que juízes precisam de psiquiatra

Durante discussão nesta terça-feira (14), o ministro Gilmar Mendes extravasou a sua ira contra os juízes de 1ª instância – aqueles que um dia foram aprovados num concurso público de altíssimo grau de dificuldade.

Para tanto, usou o nome do juiz Sérgio Moro.

“(...) Todos querem virar um Moro, ganhar um minuto de celebridade. Não precisamos de corregedores, mas de psiquiatras. Porque é um problema sério. Quer dizer, os estrupícios se juntam e produzem uma tragédia! Produzem uma tragédia! É constrangedor”.
Na mesma sessão, o ministro ainda destilou o seu ódio contra o ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, seu antigo desafeto. Um verdadeiro ataque a reputação do procurador:
"É fundamental que se proíba essas divagações que fazem. Nós mesmos aqui que somos ultracautelosos já cometemos erros, fomos induzidos. O caso André Esteves… Essas colaborações premiadas em que éramos conduzidos pelas mãos bêbadas de Janot. Eu já disse ao ministro Fachin: Vossa Excelência deve ter deferido pedidos feitos pelo Janot embriagado. Obviamente lidávamos com um inimputável. Mas é preciso que nós chamemos o feito à ordem!”.
Fica claro que Barroso estava coberto de razão, naquela sessão memorável em que desmoralizou Gilmar.

Aliás, parece óbvio que não são os juízes de 1ª instância que precisam de psiquiatra.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça