Como tem nego pensando que é esperto: o golpe do fundo para caridade

Dia desses um tal de Abdulkarim Alzarouni fez um pedido de amizade no Facebook.

Hoje, ao abrir o messenger, eis que leio a seguinte mensagem, que me fez acreditar que o Papai Noel, o coelho da páscoa e o Monstro do Armário realmente existem.

Vejam só:

"Ola Quaranta,
Lamento contatá-lo sem aviso prévio através deste meio. Eu sou o Sr. Abdulkarim Alzarouni, Vice-Gerente Geral de Auditoria e Conformidade do Banco Nacional de Abu Dhabi, aqui nos Emirados Árabes Unidos.
Eu escrevo esta proposta de boa-fé, esperando que eu confie em você. Em 2006, um Sr. Omar Quaranta, que tem o mesmo sobrenome que você e que tem seu país em seu arquivo como seu local de origem, fez um depósito fixo por 36 meses, avaliado em US$ 18.400.000,00 com o meu banco. Eu era seu oficial de contas antes de subir para o cargo de auditor geral agora. A data de vencimento deste contrato de depósito foi 16 de janeiro de 2009. Infelizmente, durante uma viagem de negócios, ele morreu em um terremoto que ocorreu em 12 de maio de 2008 na província de Sichuan, na China, que matou pelo menos 68.000 pessoas.
Desde o último trimestre de 2009 até hoje, a administração do meu banco tem encontrado um meio de contatá-lo para verificar se ele quer rolar o depósito ou retirar o valor do contrato.
Desde setembro de 2009, quando descobri que vai acontecer, eu soube de sua morte, então eu tentei pensar em um procedimento para preservar este fundo e usar o processo para caridade.
Alguns diretores têm tentado descobrir de mim as informações sobre essa conta e o proprietário, mas mantive-a fechada porque sei que, se souberem que o Sr. Omar está atrasado, eles vão encurralar os fundos para si.
Portanto, eu estou procurando sua cooperação para apresentar-lhe como o único a se beneficiar de seu fundo em sua morte desde que você tenha o mesmo nome, para que o meu chefe do banco pague os fundos para você. Eu fiz o suficiente dentro do banco e só tenho que colocar seus dados na rede de informações nos computadores do banco e refletir você como parente mais próximo.
Eu não sou uma pessoa gananciosa, então estou sugerindo que compartilhemos os fundos de forma igual, 50/50% para ambas as partes.
Minha parte me ajudará a iniciar uma organização de caridade para ajudar os pobres e também a possuir uma empresa que tem sido meu sonho.
Deixe-me saber sua opinião sobre isso e, por favor, trate essas informações como altamente secretas.
Ao receber sua resposta, estritamente através do meu endereço de e-mail pessoal, abdulkarimalzarouni799@yahoo.com, eu lhe darei detalhes da transação. E uma cópia do certificado de depósito do fundo e também o certificado de incorporação da empresa que gerou o fundo."
A MINHA RESPOSTA PARA O QUE PENSA QUE É MALA:
Prezado Abdulkarim Alzarouni
Fiquei extremamente emocionado com o seu altruísmo em querer ajudar os pobres, tanto que isso me motivou a fazer a mesma coisa. Entretanto, como eu também não sou ganancioso e não quero nada para mim, deixo aqui a minha sugestão para que os fundos do tal Omar Quaranta, que já devia ser acostumado a dar os fundos para os outros, seja destinado para:
1. Associação Beneficente dos Picaretas Virtuais;
2. Fundo de Auxílio aos Metidos a Espertos;
3. Centro de Apoio aos Vigaristas Anônimos
e
4. Casa Acolhedora dos 171 Abandonados.
Gostaria de lembrá-lo, entretanto, que na praia onde você tomou caldo com marola, eu já era salva-vidas em ressaca.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários

Notícias relacionadas