Venezuelanos fazem disparar os percentuais de criminalidade em Roraima

Os refugiados da ditadura de Nicolas Maduro estão impondo o terror em Pacaraima, em Roraima, conforme já foi denunciado pelo Jornal da Cidade Online, em artigo da lavra de Daniele Custódio, moradora da cidade.

A publicação inclusive deu margem a uma checagem realizada pela agência Lupa, vinculada ao grupo ‘Folha de S.Paulo’.

Na tal ‘checagem’, desconsiderando o caráter emotivo empregado no texto, vez que redigido por uma pessoa que está vivenciando as agruras da invasão venezuelana, a agência fez algumas considerações absurdas, atribuindo ‘exagero’ em alguns trechos e ‘falso’ em outras passagens relatadas pela moradora.

Considerou ‘exagerada’ a afirmação de que Pacaraima não tinha um homicídio há três anos. Justificou dizendo que a cidade teve três homicídios em 2014, um em 2015, nenhum em 2016.

Ora, a intenção do texto era demonstrar o quanto aumentou a violência na cidade, sem se prender ao rigor de números. O que é corroborado nesta quinta-feira (30) em matéria publicada pelo jornal Estadão.

Veja o que diz a matéria:

“Os venezuelanos são suspeitos de cometer 65% dos crimes registrados em Pacaraima neste ano, conforme dados da Polícia Civil de Roraima. Com argumento de escalada da violência, a cidade tem vivido em clima de tensão, com moradores pedindo expulsão de imigrantes. No dia 20, refugiados chegaram a ter barracas incendiadas.”
“Entre janeiro e agosto, foram registrados 1.136 boletins de ocorrência em Pacaraima, dos quais 738 (ou 65%) teriam sido cometidos por venezuelanos. Mesmo com o ano incompleto, o número é quase seis vezes maior do que em todo o ano de 2016, início do fluxo migratório, quando houve, ao todo, 128 casos com estrangeiros suspeitos. Neste ano, foram instaurados 69 inquéritos no município: 39 venezuelanos foram presos em flagrante ou indiciados.”

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça