Somos contra supremas e injustas perseguições ao Juiz Moro, Ministro Toffoli!

Convenhamos, Ministro!

Faz sentido achar que o juiz Sérgio Moro deva explicações ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mesmo após a sua imediata e aplaudida atuação no inaceitável caso do “Golpe do Plantonista”?

Até porque sabemos que o nosso juiz agiu de modo corretíssimo ao não permitir a soltura do ex-presidente Lula, enquanto o pretensioso desembargador Favreto, - sedento de ter, finalmente, o seu "momento de fama" -, acabou agindo de modo ilegal, durante mais um rotineiro plantão, mandando libertá-lo.

Faz sentido, portanto, que um ministro, privilegiado e eleito presidente dessa Corte, critique quem não merece quaisquer críticas e muito menos punições, mas, sim, a nossa mais profunda e respeitosa admiração?

Cá entre nós, Ministro Toffoli. Não seria bem mais inteligente que essa Corte apoiasse, agradecida, o que esse juiz vem se empenhando em fazer pela “imagem da nossa justiça” e pelo povo deste país?

Ou será que o nosso juiz Moro vem “incomodando”, - e muito, - aqueles que não estão e jamais estarão à sua altura, por ele ser incontestavelmente "homem de bem" e "profissional impecavelmente exemplar"?

L. Oliver

Redatora e escritora, com diversos prêmios literários, e autora de projetos de conscientização para o aumento da qualidade das sociedades brasileira e global. Participa do grupo Empresários Associados Brasil, que identifica empresas e profissionais em busca da excelência em produtos e serviços no país e no Exterior. Criou e administra o grupo “Você tem poder para mudar o Brasil e o mundo”, de incentivo à população no combate à corrupção. https://www.facebook.com/groups/1639067269500775/?ref=aymt_homepage_panel

Siga-nos no Twitter!

Mais de L. Oliver

Comentários

Notícias relacionadas