Gleisi ingressa como “advogada eleitoral” de Lula e quer acesso livre ao presidiário

A senadora Gleisi Hoffmann promoveu mais uma artimanha para prosseguir tendo acesso livre ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Como é sabido, Gleisi foi proibida pela Juíza Carolina Lebbos de continuar visitando o presidiário na condição de advogada, vez que a legislação proíbe parlamentar de advogar contra a Petrobras – a União é a principal acionista da empresa – e a Petrobras é parte no processo contra Lula, na condição de assistente de acusação.

Assim, inconformada, a senadora arrumou uma outra maneira de tentar burlar a lei. Ela agora é ‘advogada eleitoral’ de Lula.

Porém, mesmo diante dessa nova situação, a PF não permitiu nesta segunda-feira (3), que ela entrasse na sala onde Lula está preso.

Certamente ela irá formalizar um novo pedido, nessa nova condição criada, para continuar visitando o meliante petista.

Caberá a juíza Carolina Lebbos decidir.

Parece claro que é uma nova tentativa de burlar a lei. Afinal, a candidatura de Lula já está até impugnada e Gleisi nunca advogou na vida, muito menos na área eleitoral.

A juíza tem que barrar a pilantragem e estender a proibição a Fernando Haddad, que também não é advogado do presidiário.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça