O plano "A" deu errado. O plano “B” em andamento. E o plano “C”...

O plano “A”

Os mandantes não acreditavam que o Adélio fosse sair vivo dessa empreitada. Acharam que os bolsonaristas iriam espancá-lo até a morte, mas o tiro saiu pela culatra.

Acredito até que os bolsonaristas o tenham protegido dos sicários da esquerda, infiltrados como se fossem bolsonaristas, e que iriam executá-lo após ter atingido o Bolsonaro.

Seriam dois coelhos com uma cajadada só: Bolsonaro morto e a direita levando a culpa pela "morte violenta" do seu assassino.

Ninguém fez nada contra ele, e ele se tornou um arquivo vivo, para azar da esquerda.

O plano "B" em andamento

Tendo dado errado o plano "A", em menos de 24 horas apareceu um bando de advogados caros para defender o tal Adélio, pagos de verdade sabe-se lá por quem.

A garantia é: Não deixar que ele abra a boca, em troca de uma defesa. Tentar blindá-lo.

Estão alegando que ele é doente mental, e essa realmente é a única saída pra ele. Acredito que a orientação devia ser: "No caso de o plano dar errado, banque o maluco! Culpe a "Deus"! Diga que "Deus" mandou! Clichê demais para a nossa inteligência, não acham?

O plano "C"

Se o Adélio acredita mesmo que Deus fala com ele, é melhor rezar para não sair de uma penitenciária de segurança máxima, porque do contrário os seus mandantes vão dar um jeito de promover uma conversa pessoalmente com Ele, ou com o capeta. E eu não duvido que esse seja o plano "c".

Nós que torcemos por Bolsonaro não queremos a morte dele, mas somente a prisão dele e dos seus chefes. Mas que joguem a chave fora.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários