A Embaixada da Alemanha no Brasil e a palhaçada sobre “Nazismo”.

Continua a celeuma, a polêmica agora ampliada pela imprensa corrupta do nosso país e do exterior, entre internautas brasileiros e membros do corpo diplomático alemão no Brasil.

Jornais como a “Folha de São Lula” e “O Goebbels”, do Rio de Janeiro (além do tradicional panfleto comunista espanhol - “El País”) mencionam aquilo que seria uma espécie de “atrevimento”, uma certa “audácia” dos brasileiros, em discutir nazismo com alemães.

Excluídos os psicopatas, os doentes mentais de cabeça raspada que negam (no Brasil, na Alemanha e na China) a ocorrência do Holocausto, a questão em si não passa da mais rasa, da mais ridícula propaganda da esquerda brasileira e mundial contra eleitores de Bolsonaro e de qualquer um que enfrenta a Esquerda Brasileira!

Não vou, mais uma vez, voltar ao tema da natureza ideológica do Nazismo: já expliquei em outro artigo que o Nazismo só nasceu por causa da Revolução de 1917 e que, no final, tornou-se uma experiência totalitária – algo específico do século XX e que vai muito além da noção de “esquerda” ou “direita”.

"Ah, mas milhões de alemães e judeus morreram por causa do Nazismo" - é, sim: e os brasileiros que lutaram contra os nazistas na Itália também!

A questão aqui é outra: Desde quando a Embaixada da Alemanha tem DIREITO de dizer aos brasileiros o que é uma Ideologia da Esquerda ou de Direita??

Quem foi que deu essa autoridade a eles? "Ah, mas Nazismo é coisa da Alemanha" - Sim, e eu com isso?? "Esquerda" e "Direita" não é “coisa da Alemanha”! A Alemanha que se manifeste sobre o nazismo e diga - “nós alemães consideramos o nazismo uma ideologia conservadora e de extrema direita” (ponto final). Problema da Alemanha; não nosso aqui no Brasil!

A Alemanha deveria se preocupar com as barbaridades, com os horrores protagonizados pelo governo comunista de Angela Merkel – são eles, os horrores, que vem inundando a Alemanha de imigrantes de todos os tipos e reforçando, dentro da própria sociedade alemã, os traços, as lembranças do Nazismo que agora a embaixada no Brasil está procurando, junto com a Imprensa Vagabunda Petista, nos eleitores de Jair Bolsonaro.

Vergonha alheia, “Fremdschämen”, é aquilo que um verdadeiro alemão deveria sentir do corpo diplomático no Brasil que insiste em “bater boca” com brasileiros antes da eleição de outubro.

Procurar “nazismo” entre as pessoas que combatem a Organização Criminosa do PT, PSOL e PC do B no Brasil é algo tão estapafúrdio, tão ridículo e tão criminoso quanto negar o horror do Holocausto.

A única coisa, o único fato histórico que autoriza alguém a afirmar que "nazismo era uma ideologia de direita" é o registro de que Stalin derrotou Hilter.

Na verdade Churchill, Roosevelt e Stalin derrotaram Hitler, mas só Stalin parece ter ficado com direitos sobre a definição daquilo que Hitler e o nazismo foram, do ponto de vista ideológico, para Alemanha e agora (graças à Embaixada da Alemanha, ao "El País", à Folha de São Paulo e ao Globo) para todo brasileiro em 2018.

Milton Pires

Médico cardiologista em Porto Alegre

Siga-nos no Twitter!

Mais de Milton Pires

Comentários

Notícias relacionadas