Que maravilha! TSE aprova registro do 33º partido político no país

Em meio a tanta balbúrdia, inúmeras coisas erradas, enorme politicalha e politicagem, eis que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresenta uma novidade, a aprovação da concessão de registro de mais um partido político, o 'Partido Novo', o 33º da república brasileira.
Fundado em 2011, com apoio de empresários no Rio de Janeiro, a novíssima legenda poderá concorrer nas eleições municipais de 2016 com o número 30.
Em apresentações e eventos, os idealizadores do 'Novo' defendem ideias liberais, com uma ação menor do Estado na economia e na vida das pessoas.
O site do Novo elenca como seus valores a defesa das 'liberdades individuais com responsabilidade', o livre mercado (onde, para a sigla, 'os serviços são melhores do que aqueles ofertados pelo Estado, dados os mesmos custos') e uma visão de 'longo prazo' para a administração pública.
A ideia de criar a legenda surgiu em 2011 entre empresários, médicos, advogados e outros profissionais do setor privado, principalmente, motivados por participar da política institucional sem vínculos com "políticos tradicionais", segundo dirigentes. As regras do partido só admitem aqueles que têm ficha limpa e impedem que qualquer um com cargo no Legislativo ou no Executivo exerça cargo de direção na legenda.
Além de 492 mil assinaturas entregues ao TSE, o Novo já fundou 9 diretórios estaduais (em SP, RJ, MG, ES, DF, GO, MS, RO e RN) e 4 núcleos de apoio (no RS, SC, PR e PE).
O partido se compromete a barrar o carrerismo político, impedindo que os eleitos pela legenda exerçam mais do que dois mandatos consecutivos no mesmo cargo do Poder Legislativo, defende o voto facultativo, além de candidaturas avulsas; regras mais simples para criação de partidos e o fim do Fundo Partidário. 



                   https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline
Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política