Enfermeira Vampira do Piauí diz que Bolsonaro “merece a morte” e Imprensa Petista fica em Silêncio (Veja o Vídeo)

“Todo fascista merece morte. Hitler, Trump, Bolsonaro, merecem morte. Faca pra ele foi pouco, tinha que ter matado"

Quatro anos atrás, por ocasião de um debate entre a chefe de quadrilha Dilma Rousseff e o Abominável Aécio das Neves, a “estocadora de vento” se sentiu mal e eu escrevi no Facebook que ela deveria “chamar um médico cubano” (além de chamá-la, como chamo até hoje, de fdp).

Houve repercussão na imprensa nacional e o fato foi usado, inclusive, em processo administrativo e depois trabalhista que me demitiu de um Hospital de Porto Alegre controlado pela ralé, a escória do PC do B.

O Conselho Regional de Medicina do Estado do RS foi provocado, por diversas manifestações e denúncias “populares”, a se “manifestar”.

Disse o Presidente, à época e com toda razão, que o Conselho não aprovava tal tipo de manifestação vinda de um médico, mas que não podia evitar e não havia nada a fazer do ponto de vista estritamente ÉTICO, haja visto que foi uma manifestação feita como cidadão; não como médico.

Na semana que passou, uma doente mental, uma verdadeira PSICOPATA do Piauí que se apresenta como “Enfermeira” chamada Luanna Castro, postou vídeo nas redes sociais dizendo o seguinte:

“Todo fascista merece morte. Hitler, Trump, Bolsonaro, merecem morte. Faca pra ele foi pouco, tinha que ter matado”. “Eles não vão me calar, eu não tenho medo de fascista. Eu quero beber sangue de fascista. Marighella matou foi pouco, ficou um curral aqui”.

Sobre isso afirmo: o máximo que podemos esperar do Conselho Federal e Regional de Enfermagem é, sem dúvida, ato idêntico ao CREMERS. É impossível querer cobrar de um órgão de classe que representa milhares de enfermeiras dignas, pessoas honradas, uma punição “ética” contra uma doente mental defensora fanática de um lixo, um coronelzinho nordestino, como Ciro Gomes.

Aliás, diga-se de passagem que ao chamá-la de “doente mental”, nada impede que ela pense e escreva o mesmo de mim e os Conselhos Regionais de Medicina e Enfermagem não vão ter tempo de fazer mais nada se ficarem resolvendo brigas de facebook entre médicos e enfermeiras, médicos e médicos, enfermeiras e enfermeiras...ou de seja lá quem for que estiver “brigando” no Foicebook.

A questão aqui é outra: eu gostaria de saber por que a imprensa, a gigantesca imprensa Vagabunda Petista, a imprensa corrupta do centro sul do Brasil, não está dando ao caso a repercussão que merece?

Imaginem vocês, só por um minuto, se fosse um médico afirmando que “Fernando Haddad, Guilherme Boulos ou Ciro Gomes tem que ser assassinados”.

Todo Brasil lembra que eu chamei Dilma de “fdp” e a mandei procurar um médico cubano (coisa da qual não me arrependo e já disse acima que faria outra vez).

A “enfermeira”, se é que se pode dar esse título ao Vampiro do Piauí que gosta de “beber sangue” sem ofender as VERDADEIRAS ENFERMEIRAS do Brasil, também “não se arrepende” e deve pensar de mim que eu sou o “animal do RS e não posso ser chamado de médico”, mas pergunto eu outra vez:

O caso dela não vai ganhar repercussão na imprensa por quê? Não vai ter matéria no G1, na Zero Hora, no Globo, na Folha de SP??

É isso que a Globo chama de “imparcialidade”? São vocês que querem “defender o Brasil de fake news”???

Milton Pires

Médico cardiologista em Porto Alegre

Siga-nos no Twitter!

Mais de Milton Pires

Comentários

Notícias relacionadas