Desolada e em queda livre, Marina perde a linha e aciona Bolsonaro por ataque hacker

Marina Silva tenta de todo modo criar um fato que possa deter sua queda livre.

Nesse sentido impetrou neste sábado (22) ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o adversário Jair Bolsonaro, por um suposto ataque hacker à página “Mulheres contra Bolsonaro”.

“Os atos noticiados na demanda são graves por violarem os direitos constitucionais de liberdade de pensamento e expressão, por terem sido praticados na internet e no período eleitoral, portanto, atentarem contra a democracia”, diz Rafael Moreira Mota, advogado da coligação.
A ação diz ainda que Bolsonaro agiu “de forma sarcástica, buscando se valer do episódio, sem qualquer pudor, para tentar alavancar a sua campanha”.

Sarcasmo, despudor e tentativa insana de alavancar a campanha é o que representa a ação movida por Marina, totalmente sem nexo e sem sentido.

Avisem a candidata e a seu advogado, que Bolsonaro ainda está hospitalizado, em razão do atentado sofrido no dia 6 de setembro.

A fala mansa de Marina, quase suplicando piedade, esconde uma atuação torpe que lhe permitiu continuar petista e ministra de Lula, mesmo tendo absoluto conhecimento de toda a roubalheira perpetrada.

Só saiu em 2009, quando achou conveniente e para tentar voo solo e satisfazer a sua própria ambição pessoal de conquistar a presidência da República.

#ElaNão

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas