Porque “esconderam” a morte da dona da pensão?

Dona Aparecida Maria da Costa morreu no início da semana, mas a morte só veio a conhecimento público nesta sexta-feira (21), em função de um ‘furo’ de reportagem da imprensa independente.

A grande mídia não teceu uma linha sequer sobre o assunto.

Por outro lado, a informação sobre o câncer terminal como causa da morte, segundo o site O Antagonista, foi prestada por uma das filhas da mulher.

O fato é que há informações de que dona Aparecida, nos dias que antecederam ao atentado, foi possivelmente a pessoa que mais teve contato com o criminoso e talvez tivesse conhecimento de suas relações.

Um outro ponto importante é que ela na semana passada depôs perante a Polícia Federal.

O que sabia dona Aparecida?
Qual o conteúdo desse depoimento?
A “causa mortis” foi realmente o câncer?
O assunto é seríssimo. Causa perplexidade a demora na revelação do falecimento.

Diante da situação, a imprensa deveria ter sido informada imediatamente.

De acordo com os desdobramentos, talvez seja caso de exumação de cadáver.

Não pode, em hipótese alguma, pairar dúvida sobre a causa do falecimento da dona da pensão.

Amanda Acosta

Articulista e repórter
amanda@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Amanda Acosta

Comentários

Notícias relacionadas